Eventos


23 de junho de 2021

Theatro Municipal de São Paulo anuncia programação artística presencial de junho a dezembro de 2021

Temporada contempla apresentações de todos os grupos artísticos em todo complexo do Theatro Municipal de São Paulo, com início no dia 24 de junho; com a temática Liberdades Reinventadas, programação será realizada com a presença do público, com número de espectadores limitado a 25% da total capacidade e seguindo todos os protocolos de segurança sanitária.

O Theatro Municipal de São Paulo, equipamento da Prefeitura da Cidade de São Paulo e ligado à Secretaria Municipal de Cultura e à Fundação Theatro Municipal de São Paulo, retoma sua programação artística presencial para o segundo semestre de 2021, sob gestão da organização social de cultura Sustenidos.

Até o fim do ano, os corpos artísticos da instituição apresentam 30 programas de concertos, da Orquestra Sinfônica Municipal, Orquestra Experimental de Repertório, Coro Paulistano e Coro Lírico, dois programas do Balé da Cidade e duas óperas. Para respeitar os protocolos sanitários tanto na plateia como no palco, todo o repertório foi pensado para formações artísticas reduzidas, e no decorrer dos próximos meses, o Theatro Municipal seguirá atualizando sua agenda de espetáculos. Ingressos começam a ser vendidos a partir de 22 de junho.

Toda programação é norteada pelo tema Liberdades Reinventadas, promovendo reflexões sobre os contornos da liberdade para diferentes indivíduos e coletivos. Até o fim do ano, serão apresentados 11 programas pela Orquestra Sinfônica do Municipal, sete programas pelo Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo e mais sete pela Orquestra Experimental de Repertório. O Coro Lírico se apresenta em três ocasiões e o Coral Paulistano sobe ao palco quatro vezes. O Balé da Cidade de São Paulo também retorna aos palcos apresentando duas remontagens e duas novas coreografias, criadas especialmente para espaços abertos.

As duas óperas da temporada, que serão apresentadas nos meses de setembro e novembro, trazem a perspectiva da jornada de aprendizagem a partir das tensões entre indivíduo e sociedade. A história da prostituta Maria de Buenos Aires, com música de Astor Piazzolla e libreto de Horacio Ferrer, será contada pelas lentes do cineasta Kiko Goifman, que encenará a obra utilizando técnicas de cinema ao vivo.  Já The Rake’s Progress, de Igor Stravinsky, que conta a trajetória de um jovem libertino na cidade de Londres, será dirigida por uma colaboração artística de Maria Thais e Julianna Santos.

Abrindo a retomada da temporada 2021, o primeiro grupo a retornar aos palcos é o Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, que já nesta quinta-feira, 24 de junho, às 20h, se apresenta na Sala do Conservatório da Praça das Artes, com um repertório que contempla obras do compositor brasileiro Henrique Oswald e do tcheco Antonin Dvořák.

Na sequência, em 25 e 26 de junho, o Coro Lírico do Theatro Municipal retoma as apresentações presenciais com a Missa da Coroação de Wolfgang Amadeus Mozart, sob regência de Sérgio Wernec, com participação da atriz Chica Portugal e direção cênica de Julianna Santos e Menelick Cardoso

Concertos com público

Toda a programação seguirá rígidos protocolos sanitários, refletindo a preocupação da Sustenidos em oferecer um ambiente o mais seguro possível a todos.

Para evitar o contato físico com os bilheteiros e orientadores de público, os ingressos serão vendidos exclusivamente pela internet, gerando um QR Code a ser apresentado na entrada dos espaços de cada apresentação. O número de espectadores será limitado a 25% da capacidade total, tanto no Theatro Municipal quanto na Praça das Artes, possibilitando assim o distanciamento necessário para que os atuais protocolos sanitários sejam cumpridos.

Seguindo as recomendações de estudos científicos recentes, será necessário o uso de máscaras cirúrgicas ou N95/PFF2 durante todo o período de permanência nos espaços do Complexo do Theatro Municipal.

Todos os integrantes dos corpos artísticos e equipes realizarão testes de antígeno, a cada semana antes de ensaios e apresentações.

Aniversário de 110 anos do Theatro Municipal

O aniversário de 110 anos do Theatro será celebrado em diferentes pontos da cidade. Iniciando as comemorações, a partir de 12 de setembro, o prédio do TMSP será transformado em um percurso-instalação que mostrará peças do acervo de cenários, figurinos e adereços da instituição, com intervenções cênicas dirigidas por Daniela Thomas e Felipe Hirsch, envolvendo todos os corpos artísticos da casa.

O projeto Cine-Ópera trará projeções em grande escala em pontos estratégicos da cidade, permitindo que o público assista a trechos de grandes montagens na segurança de suas casas. Os corpos artísticos do Theatro se apresentarão presencialmente no Teatro Paulo Eiró, em Santo Amaro, e em teatros dos CEUs.

A partir de setembro, serão lançados episódios mensais de uma web série em 6 episódios, contando diferentes aspectos da história do Theatro Municipal.

Novos Modernistas

Ao longo do ano, cinco programas darão continuidade ao projeto Novos Modernistas, que propõe o cruzamento entre diferentes manifestações culturais e linguagens artísticas.

Os povos originários – que durante a pandemia contribuíram com importantes reflexões sobre nossa relação com o tempo e a natureza – dão o tom do projeto no mês de agosto, com uma apresentação dos Waujá,indígenas do Alto Xingu, e da obra Icamiabas – Cantata Concertante de João Guilherme Ripper. Na semana seguinte, um concerto com obras de compositores brasileiros em diálogo com uma intervenção do artista Ibã Huni Kuin.

Já em setembro, uma intervenção urbana em parceria com o coletivo BijaRI levará ópera para lugares inusitados da cidade. Em outubro, aproveitando a inspiração do último média metragem lançado por Pedro Almodóvar, a OSM apresenta A Voz Humana, com libreto de Jean Cocteau, música de Francis Poulenc, seguida da performance Ópera aberta para cantora e halterofilista, de Gilberto Mendes.

Teatro no Theatro

O projeto apresentará seis produções teatrais entre setembro e dezembro, com ênfase nas experimentações formais que se desenvolveram durante a pandemia.

Em setembro, a atriz Grace Passô e artistas convidados encenam os espetáculos multimídia com streaming online Ficções Sônicas I e II, que trazem narrativas musicais norteadas pela ideia de transmissão e comunicação de espaços-quilombos. Na sequência, o grupo canadense de teatro documental Porte Parole realiza, em coprodução com artistas brasileiros, a versão brasileira de seu projeto internacional Assembleia, que convida o público a pensar criticamente questões sociais.

Temporada Sinfônica

Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo (OSM) realizará 11 programas que contemplam obras de mais de 15 compositores como Villa-Lobos, Carlos Gomes, Villani-Côrtes, Mozart, Schumann, Dvořák e Monteverdi. Em novembro, será apresentado um programa de compositores modernos como Edgar Varèse e Charles Ives, em diálogo com uma exposição que estará em cartaz na Pinacoteca do Estado. Todos os concertos acontecem no Theatro Municipal.

O primeiro concerto acontece no dia 2 de julho, sexta-feira, às 20h, sob a batuta do regente assistente do grupo, Alessandro Sangiorgi. Na ocasião, a orquestra presta uma homenagem aos 90 anos docompositor brasileiro Edmundo Villani-Côrtes e traz os convidados Raïff Dantas, no violoncelo, e Cecília Moita, no piano.

A Orquestra Experimental de Repertório (OER) apresenta sete programas de junho a dezembro, sob regência de Jamil Maluf, Guilherme Rocha e Thiago Tavares. A programação conta com convidados como a bandoneonista Milagros Caliva, os violinistas Alejandro Aldana e Claudio Micheletti e o pianista Lucas Thomazinho. Os programas contemplam compositores como Alberto Nepomuceno, Camargo Guarnieri, Brahms, Puccini e Mendelssohn. Em outubro, a Experimental apresenta um programa infantil com a suíte Os Comediantes, de Dimitry Kabalevsky, e Pedro e o Lobo, de Sergei Prokofiev, em parceria com o grupo Giramundo – que comemora seus 50 anos de existência.

Coro Lírico e Coral Paulistano

Após a abertura da temporada em junho e da apresentação de As Icamiabas em agosto, o Coro Lírico volta ao palco em setembro com o programa Liebeslieder Walzer Op. 52, de Johannes Brahms, trazendo os pianistas Marcos Aragoni e Anderson Brenner como convidados. Ainda em setembro, o Coro Lírico também participará da ópera María de Buenos Aires e, em dezembro,apresenta o já tradicional concerto de Natal.

Em outubro, o Coral Paulistano realiza o segundo concerto comemorativo dos seus 85 anos, sob regência de Maíra Ferreira, com obras de Murray Schafer, Juliana Ripke, Guilherme de Almeida, Antonio Ribeiro, Aylton Escobar, Lili Boulanger, Einojuhani Rautavaara e Eric Whitacre. Em novembro estará na ópera The Rake’s Progres e, em dezembro, apresenta o Vespro della Beata Vergine, de Claudio Monteverdi, com a Orquestra Sinfônica Municipal.

Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo

Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, grupo formado pelo violista Marcelo Jaffé, pelos violinistas Betina Stegmann e Nelson Rios e pelo violoncelista Rafael Cesario, realiza sete concertos na Sala do Conservatório da Praça das Artes, entre junho e dezembro. A programação contempla obras do repertório popular e erudito e conta com convidados como o contrabaixista Thiago Hessel, o pianista Hércules Gomes e o cravista Fernando Cordella.

Balé da Cidade de São Paulo

Em 30 de julho, o Balé da Cidade de São Paulo retoma suas atividades com a reapresentação da coreografia A Casa, de Marisa Bucoff, em conjunto com a remontagem da coreografia Árvore do Esquecimento, de Jorge Garcia.Já em outubro o grupo se apresenta na Praça das Artes, estreando duas coreografias inéditas de Henrique Rodovalho concebidas em diálogo com a linguagem do Passinho, com trilha sonora de Leo Justi e criação em vídeo do coletivo Heavy Baile.

 

Confira aqui a programação.