Calendário

Eventos

Notícias
23 de janeiro de 2018

OSM

A temporada 2018 da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo estreia com a grandiosa 8ª Sinfonia de Mahler no dia 02 de março às 20h. Conhecida como “sinfonia dos mil” devido à grande necessidade de músicos e instrumentos, soma-se oito solistas, dois corais completos e um coro infantil.

Neste lançamento, a OSM executará a obra com o Coral Paulistano, sob a preparação da regente titular Naomi Munakata, o Coro Lírico Municipal de São Paulo, sob o comando de Mário Zaccaro, e a maestrina Regina Kinjo estará a frente do Coro Infantojuvenil da Escola Municipal de Música de São Paulo. Os solistas serão: Gabriella Pace (soprano), Rosana Lamosa (soprano), Raíssa Amaral (soprano), Ana Lucia Benedetti (mezzo-soprano), Denise de Freitas (mezzo-soprano), Fernando Portari (tenor), Licio Bruno (barítono) e Sávio Sperandio (baixo).  A obra foi a última que o Mahler estreou em vida e foi apresentada apenas uma vez no Municipal em 1981.

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, nos dias 9 e 10 de março, a OSM, sob a regência da maestrina Mônica Meira Vasques realiza um concerto especial com obras das compositoras Fanny Hensel Mendelssonhn, Clara Schumann e Amy Marcy Beach. A pianista Maria Cecília Moita será solista neste concerto.

Centenário Leonard Bernstein

Para marcar os 100 anos de nascimento do maestro, compositor e pianista americano Leonard Bernstein, a Orquestra fará alguns concertos para homenageá-lo, como a apresentação da Missa nos dias 6, 7 e 8 de abril. “Uma das peças mais incríveis do século 20. Ele compôs para a inauguração do Kennedy Center, em Washington, dedicado à memória do presidente John F. Kennedy”, afirma o maestro Roberto Minczuk. A obra é outra estreia no Brasil realizada pelo Theatro Municipal de São Paulo.

Continuando a programação comemorativa do centenário, em agosto, o municipal realiza o Gala Bernstein, com uma seleção das obras mais importantes do compositor, como a opereta Candide, o musical West Side Story e a obra coral Chichester Psalms. As apresentações acontecem nos dias 24, às 20h, e 25, às 20h, sendo esta última no dia do aniversário do Bernstein.
Concerto com Valentina Lisitsa

Sob regência do maestro convidado Fabio Mechetti, diretor artístico e regente titular da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, os músicos apresentam Concerto nº 3 para piano, de Serguei Rachmaninoff, e Encantamento, de Camargo Guarnieri. A pianista clássica ucraniana Valentina Lisitsa será solista neste concerto nos dias 27 e 28 de julho.

Artista global e fenômeno no youtube com visualizações que superam os 150 milhões, Valentina Lisitsa se debruçará na obra Concerto n° 3 para piano, de Serguei Rachmaninoff, considerada a peça mais difícil para este instrumento e na qual se tornou especialista. Valentina tem uma técnica voraz e impressionante que atrai públicos em todo o mundo. Já lotou o Auditório Nacional de Madri em uma apresentação junto com a Orquestra Nacional da Espanha e, no ano passado, foi ovacionada pelo público brasileiro após um concerto de três horas na Sala Cecília Meireles, no Rio de Janeiro. A artista já se apresentou com as orquestras: Seoul Philharmonic, San Francisco Symphony e Chicago Symphony.

Além de artistas renomados como solistas, a OSM se apresentará sob a regência de grandes maestros convidados, como Enrique Arturo Diemecke, diretor artístico e maestro do Teatro Colón, em Buenos Aires, que faz sua estreia no Municipal; Alexander Lazarev que foi durante mais de 30 anos diretor-chefe e diretor artístico do Teatro Bolshoi e Diretor Principal da Orquestra Sinfônica da BBC; Luiz Fernando Malheiro; a maestrina Mônica Vasques; Fabio Mechetti; Marcos Arakaki; e João Carlos Martins.

Sob a regência do maestro convidado, João Carlos Martins, a OSM executa, em agosto e setembro, um programa todo dedicado ao compositor alemão Johann Sebastian Bach. Dentre as peças estão: Concerto de Brandemburgo nº 3 em Sol Maior e Concerto para piano n° 1 em ré menor. A apresentação contará com a participação do ator mirim Davi Campolongo que representou João Carlos Martins na infância no filme João, o maestro. “João Carlos Martins é um ícone da música clássica do Brasil, um dos maiores interpretes de Bach de todos os tempos como pianista e também como regente”, afirma Roberto Minczuck.

Ainda dentro da programação, uma ópera em forma de concerto. De um dos mais destacados compositores brasileiros da atualidade, João Guilherme Ripper, o título Piedade: A Paixão Segundo Euclides da Cunha sobre a morte do autor de Os Sertões, Euclides da Cunha, poderá ser apreciado pelo público nos dias 20 e 21 de julho.

Por conta das comemorações natalinas, em novembro e dezembro, o público poderá assistir O Messias, de Georg Friedich Haendel. Obra no qual faz parte o célebre e mundialmente conhecido “Hallelujah”. Os concertos acontecem nos dias 30/11, 01 e 02/12, sendo que na última apresentação os espectadores poderão participar cantando junto alguns trechos do oratório.

Pela primeira vez, ainda em dezembro, nos dias 14 e 15, a OSM e o Coro Lírico Municipal de São Paulo apresentam o oratório de ópera El Niño (estreia brasileira), do compositor americano John Adams. A composição aborda o nascimento de Jesus Cristo, sob a perspectiva de Maria, se afastando do texto bíblico tradicional e intercalando poemas de mulheres latino-americanas, trechos do livro do Antigo Testamento. “Vamos celebrar um dos maiores compositores vivos da atualidade, John Adams. A música dele é eletrizante, moderna. El Niño é uma obra consagrada e premiada”, diz o maestro Roberto Minczuk.

Concertos informais

A série Concertos Informais com a OSM permanece, sob a regência do maestro Roberto Minczuk, aos domingos. O objetivo é formar novos públicos e intensificar a aproximação com a música clássica. Durante os concertos, o regente entre uma música e outra, conversa com a plateia, contando detalhes e curiosidades sobre as composições e seus autores.

Confira aqui mais informações.

Programação sujeita a alterações.