Calendário

Eventos

Notícias
11 de abril de 2018

Maestros renomados chegam ao palco do Municipal em abril

Os maestros Enrique Arturo Diemecke e Gunter Neuhold se apresentam à frente da Orquestra Sinfônica Municipal

A Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo (OSM) recebe dois maestros reconhecidos internacionalmente para os concertos em abril. O mexicano Enrique Arturo Diemecke faz sua primeira apresentação no Brasil como regente convidado OSM, na sexta-feira, 13, às 20h e sábado, 14, às 16h30.

Regente titular e diretor artístico do Teatro Colón de Buenos Aires, na Argentina, o maestro já esteve à frente da Orquestra Sinfônica Nacional de Washington, de San Francisco, da Filarmônica de Los Angeles, de Varsóvia e de Bogotá e da Orquestra Nacional Francesa e a de Paris, entre outras.

No programa, estão Concerto para piano nº 1 em Mi menor op. 11, de Frédéric Chopin, e Sinfonia nº 2 em Ré maior op. 73, de Johannes Brahms. O pianista Alvaro Siviero será solista neste concerto.

Já na sexta-feira, 20 de abril, e no sábado, 21, quem responde pela regência da OSM é o austríaco Gunter Neuhold. O convidado foi maestro e diretor artístico da Orquestra Sinfônica de Bilbao e regente convidado da Sinfônica e da Filarmônica de Viena, Orquestra Nacional Francesa e Orquestra Sinfônica de Torino, Milão e Napoli. E estes são apenas alguns exemplos de toda uma vida profissional dedicada à música.

A Sinfonia nº 1 em Dó maior op. 2, de Ludwig van Beethoven, abre o programa comandado por Neuhold seguida pelo Prelúdio do ato III da ópera “Tiradentes”, de Eleazar de Carvalho e, após o intervalo, Don Quixote – Variações Fantásticas sobre um Tema de Caráter Cavalheiresco, Op. 35, de Richard Strauss, encerra o espetáculo.  O violoncelista Raiff Dantas é o solista deste concerto.

OSM

Até o começo do século 20, as companhias líricas internacionais que se apresentavam no Theatro Municipal traziam da Europa seus instrumentistas e coros completos, pela falta de um grupo orquestral em São Paulo especializado em ópera.

Somente a partir da década de 1920 uma orquestra profissional foi criada e passou a realizar apresentações esporádicas, tornando-se regular em 1939, sob o nome de Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal. Uma década mais tarde, o conjunto passou a se chamar Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo e foi oficializado em lei de 28 de dezembro de 1949, que vigora ainda hoje.

A história da Sinfônica Municipal se confunde com a da música orquestral em São Paulo, com participações memoráveis em eventos como a primeira Temporada Lírica Autônoma de São Paulo, com a soprano Bidú Sayão; a inauguração do Estádio do Pacaembu, em 1940; a reabertura de Theatro Municipal, em 1955, com a estreia da ópera Pedro Malazarte regida pelo compositor, Camargo Guarnieri; e a apresentação nos Jogos Pan-Americanos de 1963, em São Paulo.

Estiveram à frente da orquestra os maestros Arturo de Angelis, Zacharias Autuori, Edoardo Guarnieri, Lion Kasniefski, Souza Lima, Eleazar de Carvalho, Armando Belardi e John Neschling.

Roberto Minczuk é o atual regente titular da Orquestra Sinfônica Municipal – OSM.

Mais informações:

Maestros

Arturo Diemecke 

Nascido no México, Enrique Arturo Diemecke estudou violino, trompa e regência na Universidade Católica de Washington, nos Estados Unidos. Além de ser o diretor artístico e musical do Teatro Colón e da Filarmônica de Buenos Aires, responde pela direção musical da Sinfônica de Long Beach, na Califórnia, e pela direção artística da Sinfônica de Flint, em Michigan. É convidado frequentemente para reger de orquestras de todo o mundo. Compositor e arranjador, compos Die-Sir-E, Chacón a Chávez e Camino y visión, entre outras.

Gunter Neuhold

Formado no conservatório de Graz, fez cursos avançados de música em Roma e Viena. Depois de ganhar diversos prêmios em festivais, ocupou o cargo de diretor musical do Teatro Regio di Parma. De lá, foi maestro e diretor musical da Real Filarmônica Flamenga, em Antuérpia, na Bélgica, em seguida, da Badisches Staatstheater Karlsruhe, do Theater der Freien Hansestadt Bremen, ambos na Alemanha e da Orquestra Sinfônica de Bilbao. Atualmente, segue uma agenda de convites para reger orquestras por todo o mundo.

Solistas

Alvaro Siviero

Primeiro brasileiro a participar do curso de imersão na obra de Beethoven na Casa Orfeo – Fondazione Wilhelm Kempff na Itália, realizou recital particular para o Papa Bento XVI durante a visita do Pontífice à Aparecida do Norte. Representou o Brasil no Encontro Mundial de Artistas em 2009, no Vaticano, e apresentou-se com a London Festival Orchestra, Virtuosi of Europe, Filarmônica de Praga e Sinfônica de Brasília, entre tantas outras orquestras. Recebeu a Comenda da Ordem do Mérito Cultural Carlos Gomes.

Raiff Dantas

Violoncelista paraibano, estudou com Nelson Campos no Brasil e com Enrico Contini na Itália. Atuou como solista à frente da Orquestra Cayuga Chamber de Nova York, Orquestra do Teatro Nacional de Brasília e Sinfônica de Minas Gerais, entre outras. É o primeiro solista de violoncelo do Theatro Municipal de São Paulo desde 2001. Gravou diversos álbuns, com destaque para Sonatas de Brahms e Franck com o pianista Álvaro Siviero, As Três Primeiras Suítes Para Violoncelo Solo De J.S.Bach e o CD solo Miniaturas Brasileiras.


Serviço:

Sexta-feira, 13/4, 20h. Sábado, 14/4, 16h30

Concerto para piano nº 1 em Mi menor op. 11 | FRÉDÉRIC CHOPIN

Sinfonia nº 2 em Ré maior op. 73  | JOHANNES BRAHMS

Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo

Enrique Arturo Diemecke – regente

Alvaro Siviero – piano

Sexta-feira, 20, 20h. Sábado, 21, 16h30

Sinfonia nº 1 em Dó maior op. 21  | LUDWIG VAN BEETHOVEN

Prelúdio do ato III da ópera “Tiradentes”  | ELEAZAR DE CARVALHO

Don Quixote – Variações Fantásticas sobre um Tema de Caráter Cavalheiresco, Op. 35  | RICHARD STRAUSS

Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo

Gunter Neuhold – regente

Raïff Dantas Barreto – violoncelo

Vendas na bilheteria do Theatro Municipal de São Paulo ou pelo site www.theatromunicipal.org.br

Horário da Bilheteria: De segunda a sexta-feira, das 10h às 19h e sábados e domingos, das 10h às 17h.

Nos espetáculos à noite, a bilheteria permanece aberta até o início do evento; em dias de espetáculos pela manhã, o espaço abre ao público duas horas antes do início da apresentação. Apenas venda e retirada de ingressos para os eventos do Theatro Municipal de São Paulo.