Calendário

Eventos

Notícias
06 de maio de 2019

Garoto prodígio Guido Sant’Anna é solista em concerto com a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo neste final de semana

Guido Sant’Anna | Foto: Divulgação

Guido Sant’Anna, 13 ANOS, foi o único latino-americano a participar do concurso Menuhim Competition, na Suíça. O jovem violinista se apresenta junto a OSM nos dias 10 e 11 no Theatro Municipal de São Paulo. A regência é de José Maria Florêncio.

A Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo recebe um convidado mais que especial para o próximo concerto que acontece na sexta-feira (10), às 20h, e no sábado (11), às 17h – Guido Sant’Anna, jovem violinista de 13 anos. O repertório conta com obras de Hector Berlioz, Niccolò Paganini, Claude Debussy e Maurice Ravel. Os ingressos variam de R$12 a R$40.

 

Sob a regência do maestro José Maria Florêncio, os músicos iniciam o concerto com Abertura de Benvenuto Cellini, de Berlioz. Em seguida é o momento de ouvir Concerto para Violino e Orquestra nº1, composta em 1818 por Niccolò Paganini. O compositor genovês não apenas revolucionou a história do violino, mas inspirou diversos músicos de gerações posteriores. Nesta obra, o jovem violinista Guido Sant’Anna se junta aos músicos da Orquestra.

 

Aos 13 anos, Guido Sant’Anna já apresenta um currículo invejável. O garoto prodígio começou a tocar violino aos 5 anos e aos 7 já havia sido solista de uma orquestra. O garoto foi o único latino-americano a participar do concurso Menuhin Competition, na Suíça. Nas provas do concurso, na categoria Júnior, tocou uma gama ampla de compositores e peças: Bach, Wieniawski, Prokofiev, Piazzolla, Beethoven, Paganini e Vivaldi.

 

O concerto continua com La Mer, de Claude Debussy. Composta em 1905, a obra aborda os sentimentos e lembranças que evocam o mar. Para finalizar o espetáculo, a orquestra interpreta La Valse, de Maurice Ravel, que se inspirou no universo de Johann Strauss II para a composição da obra.

 

À frente da orquestra estará o maestro, violista e compositor José Maria Florêncio que nasceu em Fortaleza, mas foi naturalizado polonês. Começou sua musicalização no Ceará e tornou-se rapidamente violista profissional, chefiando aos 19 anos o naipe da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, onde fez sua estreia como regente profissional, aos 20 anos. Na sua carreira, já exerceu cargos como: maestro titular do Grande Teatro de Lodz, diretor musical da Ópera Estatal de Wroclaw, diretor e maestro titular da Orquestra Sinfônica e Coro da Rádio e TV de Cracóvia, maestro titular do Grande Teatro de Varsóvia, diretor musical do Grande Teatro da Ópera de Poznań, diretor musical da Ópera Báltica, em Gdańsk, regente principal de Capella Bydgostiensis e diretor e maestro titular da Orquestra Sinfônica Municipal (OSM).

SERVIÇO:

10 Sexta | 20h
11 Sábado | 17h
CONCERTO SINFÔNICO
Orquestra Sinfônica Municipal
José Maria Florêncio, regente
Guido Sant’Anna, violino
Programa:
Hector Berlioz: Abertura de “Benvenuto Cellini”
Niccolò Paganini: Concerto para Violino e Orquestra nº 1
Claude Debussy: La Mer
Maurice Ravel: La Valse
Local: Sala de Espetáculos |Theatro Municipal de São Paulo
Duração aproximada: 90 minutos
Indicação etária: Livre (sugerido para maiores de 7 anos)
Ingressos: R$ 40,00 / R$ 30,00 / R$ 12,00 pelo site eventim.com.br ou pela bilheteria.
Vendas na bilheteria do Theatro Municipal de São Paulo ou pelo site www.eventim.com.br.
Horário da bilheteria: De segunda a sexta-feira, das 10h às 19h, sábados e domingos, das 10h às 17h. Nos espetáculos à noite, a bilheteria permanece aberta até o início do evento; em dias de espetáculos pela manhã, o espaço abre ao público duas horas antes do início da apresentação. Apenas venda e retirada de ingressos para os eventos do Theatro Municipal de São Paulo.
* Programação sujeita a alterações.
Mais informações:
Guido Sant’Anna, violino
O violinista Guido Sant’Anna é um garoto prodígio. Começou a tocar violino aos 5 anos e, aos 7, já havia sido solista de uma orquestra. Hoje Guido tem 13 anos. Já se apresentou com os regentes João Carlos Martins, Júlio Medaglia, Erika Hindrikson e Edson Beltrami. Atualmente é aluno da violinista Elisa Fukuda com o apoio do Instituto Cultura Artística. Em 2014, foi finalista do programa Prelúdio, com o maestro Júlio Medaglia, um dos primeiros a descobrir seu talento. Foi o único latino-americano a participar do concurso Menuhin Competition, na Suíça. Nas provas do concurso, na categoria Júnior, tocou uma gama ampla de compositores e peças: Bach, Wieniawski, Prokofiev, Piazzolla, Beethoven, Paganini e Vivaldi.
José Maria Florêncio, regente
Maestro, violista e compositor, José Maria Florêncio é natural de Fortaleza e naturalizado polonês. Começou sua musicalização no Ceará e tornou-se rapidamente violista profissional, chefiando aos 19 anos o naipe da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, onde fez sua estreia como regente profissional, aos 20 anos. Em 1985, foi estudar na Polônia, onde vive há mais de 30 anos – e foi o único estrangeiro em mais de 300 anos a concluir com medalha de ouro o curso de mestrado na Academia de Música Frédéric Chopin. Em sua carreira, já exerceu cargos como: maestro titular do Grande Teatro de Lodz, diretor musical da Ópera Estatal de Wroclaw, diretor e maestro titular da Orquestra Sinfônica e Coro da Rádio e TV de Cracóvia, maestro titular do Grande Teatro de Varsóvia, diretor musical do Grande Teatro da Ópera de Poznań, diretor musical da Ópera Báltica, em Gdańsk, regente principal de Capella Bydgostiensis e diretor e maestro titular da Orquestra Sinfônica Municipal (OSM). Recebeu inúmeras condecorações, incluindo dois prêmios Złota Łódka para as melhores peças de teatro do ano e o Trófeu Sereia de Ouro, de 1997. Recebeu também do ministro da Cultura da Polônia a medalha Gloria Artis por promover a cultura polonesa ao redor do mundo.