Eventos


17 de agosto de 2018

Coral Paulistano homenageia compositores brasileiros contemporâneos

 O concerto apresenta obras de Aylton Escobar, Ronaldo Miranda e de novos talentos

O Coral Paulistano homenageia compositores contemporâneos brasileiros já conhecidos do grande público, Aylton Escobar e Ronaldo Miranda, e apresenta obras de novos talentos, como o jovem músico Guilherme de Almeida, de 23 anos. Ainda no programa, são interpretadas obras de Antonio Ribeiro. O concerto acontece na terça-feira, dia 21 de agosto, às 20h, na Sala do Conservatório, na Praça das Artes.  A regência é da maestrina Naomi Munakata.

De Aylton Escobar, o Coral interpreta as obras “En el Hondo Silencio de la Noche” e “Behind Blinded Bar”, sob a regência do próprio compositor.  A primeira é baseada em um dos poemas em espanhol escritos pelo próprio Escobar, que se inspirou após inúmeras leituras dos textos de poetas de língua hispânica. Para a execução, são necessárias uma clarineta, piano, violoncelo e vozes femininas.

Já “Behind Blinded Bars” (Atrás das Barras Cegas) é uma obra escrita para coro masculino. A peça é baseada nos excertos poéticos que Oscar Wilde escreveu enquanto estava na prisão na Inglaterra e assinava os seus textos como C33, seu número de prisioneiro. Ele foi preso no século 19 por ser homossexual, orientação que era considerada crime.

Aylton Escobar foi regente titular e diretor artístico de importantes orquestras nacionais, como a Sinfônica de Minas Gerais. O compositor recebeu encomendas de obras expressivas, como “Salmos Elegíacos para Miguel de Unamuno”, e estreou peças em Bruxelas e em Zurique.

O compositor Ronaldo Miranda também já se apresentou nas principais salas de concerto do Brasil e do mundo, como o Queen Elizabeth Hall, em Londres, o Teatro Colón, em Buenos Aires, e o Carnegie Hall, em Nova Iorque. Muitas de suas peças foram comissionadas por importantes instituições, como o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, o Centro Cultural Banco do Brasil e o Ministério da Cultura. A obra que será apresentada pelo Paulistano, “Belo Belo”, é baseada na poesia homônima de Manuel Bandeira. A composição aborda elementos da natureza, como píncaros, água, fonte, rosas, e faz referência a uma pessoa que está dividida entre o sonho e a realidade.

 

Estreia
A obra “Quíchua”, de Guilherme Almeida, será interpretada pela primeira vez por um coro adulto. O compositor usou um texto de um índio da tribo Quíchua, que foi alfabetizado em português e começou a escrever poemas. Os Quíchuas são povos indígenas da América do Sul que vivem no Peru, Bolívia, Argentina e Chile.

Outra estreia deste programa será “Angústia”, de Antonio Ribeiro, inspirada na poesia homônima da poeta portuguesa Florbela Espanca.

Os ingressos custam R$ 20 e estão à venda pelo site eventim.com.br ou na bilheteria do Theatro Municipal de São Paulo.

 

Serviço:
Terça-feira, 21/8, às 20h

COMPOSITORES BRASILEIROS
Coral Paulistano
Naomi Munakata: Regente
Aylton Escobar – Regente convidado
Rogério Wolf – flauta
Luís Afonso Montanha – clarinete
Eliane Tokeshi – violino
Ricardo Kubala – viola
Ricardo Fukuda – violoncelo
Gustavo Fontes – contrabaixo
Joaquim Abreu – percussão
Vicente Sampaio – barítono
Xavier Silva – barítono

 

Programa:
Guilherme de Almeida: Canção das Carpideiras
Antonio Ribeiro: La Noche
Guilherme de Almeida: Quíchua
Antonio Ribeiro: Momento
Antonio Ribeiro: Angústia
Ronaldo Miranda: Belo Belo
Almeida Prado: Oráculo
Aylton Escobar: En el Hondo Silencio de la Noche
Aylton Escobar: Behind Blinded Bars

Duração aproximada: 1 hora
Indicação etária: Livre (sugerido para maiores de 7 anos)

 

Duração aproximada: 1 hora
Classificação Indicativa: Livre (sugerido para maiores de 7 anos)
Ingressos: R$ 20.  vendas na bilheteria do Theatro Municipal de São Paulo ou pelo site www.theatromunicipal.org.br.

 

Sala do Conservatório – 1° andar na Praça das Artes
Av. São João, 281 – Centro, São Paulo – SP