Calendário

Eventos

Notícias
19 de agosto de 2015

Com a soprano Maria Jose Siri, tenor italiano Marcello Giordani e barítono brasileiro Paulo Szot, Manon Lescaut, de Puccini, estreia no Theatro Municipal de São Paulo

No dia 29 de agosto estreia no Theatro Municipal a ópera Manon Lescaut, de Giacomo Puccini. A montagem inédita tem direção cênica do italiano Cesare Lievi e direção musical do maestro e diretor artístico John Neschling. Serão oito récitas até o dia 10 de setembro.

No papel-título da ópera está a soprano uruguaia Maria Jose Siri, que cantou em teatros como o La Scala, Maggio Musicale Fiorentino, Arena di Verona, Massimo de Palermo, Carlo Felice de Gênova, San Carlo de Nápoles, Regio de Turim, Staatsoper Berlin, Staatsoper Stuttgart, Bregenz Festival, Kungliga Operan Stockholm, Royal Opera Copenhagen e em Roma, Veneza, Trieste, Bolonha, Viena, São Petersburgo, Valência, La Coruña, Tel Aviv, Tóquio e Montevidéu; com diretores cênicos como Franco Zeffirelli, Ferzan Özpetek e Graham Vick; e com regentes como Daniel Barenboim, Zubin Mehta e Pinchas Steinberg.

No elenco, o premiado barítono paulistano Paulo Szot, que já cantou ao lado de estrelas como Liza Minnelli e Kelli O’Hara e, em 2008, foi vencedor do Tony Award como melhor ator pelo papel de Emile De Becque no musical South Pacific, apresentado no Lincoln Center Theatre em Nova York. Em Manon Lescaut, Paulo Szot interpreta o papel de Lescaut, sargento irmão da protagonista Manon.

Abaixo, vídeo de Szot  ao lado de Anna Netrebko em Manon, ópera de Jules Massenet:

O tenor italiano Marcello Giordani interpreta o Cavalheiro Des Grieux, amante de Manon. Giordani se apresentou diversas vezes no Metropolitan Opera de Nova York – foram mais de 170 performances desde sua estreia – além de ter cantado em outras grandes casas de ópera do mundo.

https://www.youtube.com/watch?v=eVPLnWh8rQg

O elenco conta com outros grandes nomes da cena lírica nacional e internacional, como Adriane Queiroz (soprano), Martin Muehle (tenor), Saulo Javan (baixo), Leonardo Pace (baixo), Valentino Buzza (tenor), Walter Fawcett (tenor), Matheus Pompeu (tenor) e Malena Dayen (mezzo soprano).

Desde o final da década de 70 o título não era encenado no Theatro Municipal (durante a década de 80 houve duas montagens, apenas em versão de concerto). Para esse retorno da obra ao Palco de São Paulo, o diretor Cesare Lievi optou por manter o ambiente do libreto, situado no século XVIII. Lievi destaca que a cena é concreta, porém metafórica. “Tudo é necessário para ajudar a entrar no coração da dramaturgia. Eu venho do teatro, e na ópera eu preciso do teatro. Preciso de verdade humana”, destaca.

A dramaturgia é um aspecto que o diretor enfatiza  nesta montagem. “Os cantores não são apenas bons cantores, são também atores excelentes. Isso é importante”.
Lieve escolheu subtítulos para cada um dos quatro atos da ópera. O primeiro é a “Primavera”, impressionista, que retrata a leveza, vitalidade e a brincadeira da jovem Manon. O segundo ato é o “Teatro”, com uma linguagem mais expressionista. No terceiro, o “Inferno”, Lieve dialoga com o realismo. Enquanto o quarto ato – “Deserto” – tem uma linguagem surrealista, ilustrando a destruição de todos os elementos anteriores.


Sobre a ópera

A ópera do compositor italano Giacomo Puccini (1858 – 1924) é dividida em quatro atos, com libreto de Ruggero Leoncavallo, Marco Praga, Giuseppe Giacosa, Domenico Oliva e Luigi Illica, baseado no romance L’Histoire du chevalier des Grieux et de Manon Lescaut, de Antoine François Prévost d’Exiles, conta a história da jovem Manon que inicialmente estaria destinada ao convento, mas despertou o interesse do endinheirado Geronte.

Seu irmão Lescaut, de olho na oportunidade, negocia com Geronte o sequestro da própria irmã. Porém, Manon e o estudante Des Grieux se apaixonam à primeira vista e o estudante passa por algumas tentativas fracassadas para ficar com sua amada.

Curiosidades

A ópera foi apresentada pela primeira vez no Municipal no dia 21 de setembro de 1911 – nove dias após a inauguração do Palco de São Paulo. A ópera foi regida por Edoardo Vitale  e contou com
Adelina Agostinelli no papel de Manon Lescaut, Angelo Pintucci como Des Grieux, Ernesto Badini como Lescaut, Concetto Paterna como Geronte e Carlo Bonfanti como Edmondo.

Depois desta estreia, Manon Lescaut foi apresentada mais cinco vezes no Palco de São Paulo:

Julho de 1912
Gino Marinuzzi Regente
Ersilde Cervi-Caroli Manon Lescaut
Giuseppe Taccani Des Grieux
Renzo Minolfi Lescaut
Giorgio Schottler Geronte
Gualtiero Favi Edmondo

Setembro de 1928
Tullio Serafin Regente
Ezio Cellini / Ciro Scafa Diretor
Cênico
Claudia Muzio Manon (Lescaut)
Beniamino Gigli (Des Grieux)
Gino Vanelli (Lescaut)
Attilio Muzio (Geronte)
Luigi Nardi (Edmondo)

Setembro de 1978
Orquestra Sinfônica Municipal
de São Paulo
Coro Lírico Municipal de São Paulo
Michelangelo Veltri Regente
Tito Serebrinsky Diretor Cênico
Gabriella Cegolea (Manon Lescaut)
Nicola Martinucci (Des Grieux)
Fernando Teixeira (Lescaut)
Wilson Carrara (Geronte)
João de Brás (Edmondo)

Setembro de 1986
(em versão concerto)
Orquestra Sinfônica Municipal
de São Paulo
Coro Lírico Municipal de São Paulo
Tullio Colacioppo / Luiz
Fernando Malheiro Regentes
Luiza de Moura / Rosa
Mazzolla Manon (Lescaut)
Benito Maresca / Giorgio
Magnani (Des Grieux)
Andrea Ramus / Luiz Orefice (Lescaut)
Wilson Carrara / Carlos Vial (Geronte)
Arlindo Quariglia / Tomasino
Castelli (Edmondo)

Outubro de 1989
(em versão concerto)
Orquestra Sinfônica Brasileira
Coro Ópera Brasil
Eugene Kohn Regente
Ilona Todoku (Manon Lescaut)
Peter Kelen (Des Grieux)
Paulo Fortes (Lescaut)
Mario Bertolino (Geronte)
Sérgio Sisto (Edmondo)

Ingressos

Os ingressos custam entre R$ 50 e 120, com meia-entrada para todos os setores, e podem ser adquiridos na bilheteria do Theatro Municipal (informações neste link) ou pelo site da empresa Compre Ingressos (neste link.)

Palestra

No sábado (22/8), às 17h, o compositor e musicólogo Leandro Oliveira realiza uma palestra gratuita sobre a ópera Manon Lescaut no Salão Nobre do Theatro Municipal. As palestras abordam de forma descontraída e informativa a vida dos compositores, as circunstâncias históricas das composições, além da história das óperas e curiosidades. Aberta ao público em geral, não é necessário apresentar o ingresso para as récitas para assistir às palestras.


SERVIÇO

MANON LESCAUT
Giacomo Puccini

29/8 sáb 20h | 30 dom 18h | 1/9 ter 20h | 3/9 qui 20h | 5/9 sáb 20h | 6/9 dom 18h | 8/9 ter 20h | 10/9 qui 20h