Eventos


Live | María de Buenos Aires: O Tango e O Corpo

Outros

13/09/2021 • 19h

Como forma de dialogar e ampliar os pontos de vista sobre a Ópera Maria de Buenos Aires (em cartaz nos dias 10, 11, 12, 15, 16, 17, 18 e 19 de setembro), realizaremos duas lives. Na primeira, participamos do diálogo entre Lorene Gonçalves Soares, Matheus Topine e Elaine Bortolanza, sobre os temas que atravessam esta obra de Piazzolla: a poética do tango e suas origens, a prostituição, o cabaré e o corpo. Na segunda, o terapeuta junguiano Roberto Gambini apresentará uma reflexão sobre os sentidos da noite, as metáforas e o universo poético que permeiam a ópera Maria de Buenos Aires. A live conta com a presença do diretor Kiko Goifman, que falará sobre o processo criativo dessa montagem da ópera. 

As lives têm como objetivo compartilhar leituras, experiências e conhecimentos, convidando a plateia a prestigiar a ópera Maria de Buenos Aires e a participar dos debates que ela suscita. A mediação das lives será realizada pela antropóloga Ana Lucia Lopes, Gerente de Formação Acervo e Memória e pelo historiador Rafael Domingos Oliveira da Silva, Coordenador do Núcleo de Acervo e Pesquisa, ambos do Theatro Municipal de São Paulo. Este encontro será, também, uma forma de conhecer o espetáculo em seu novo formato, com o repertório marcante de Astor Piazzolla, unindo diferentes linguagens artísticas à atmosfera portenha e brasileira. Acompanhe e participe!

 

13 de setembro, 19h: Maria de Buenos Aires: O Tango e O Corpo

Com:

Lorene Gonçalves Soares,  doutora em psicologia clínica pela PUC-SP, psicóloga clínica, sexóloga e professora de pós-graduação em Análise Bioenergética. Possui experiência como bailarina e DJ de tango. Autora do livro “É necessário dois para bailar um tango”, publicado no Brasil e Argentina. Recebeu o prêmio jornalista Josué Quesada Tango de Oro, concedido pelo Fundo Rio Platense de las Artes.

Matheus Topine,  historiador e professor. Autor de “Os requebros do maxixe: raça, nacionalidade e disputas culturais no Rio de Janeiro (1887-1925)”, trabalho em processo de publicação pela Editora da PUC-Rio e premiado no Concurso Silvio Romero de Monografias sobre Folclore e Cultura Popular (CNFCP/IPHAN). Atualmente é doutorando num acordo de cotutela entre a Universidad Nacional de San Martín (Argentina) e a PUC-Rio, onde investiga relações raciais em Buenos Aires durante os anos iniciais da formalização do tango.

Elaine Bortolanza, pesquisadora, doutora em Psicologia pela PUC-SP com a tese “Zonas de promiscuidade: trottoir do desejo sexual”, ativista e produtora cultural. Integra a Rede Brasileira de Prostitutas e o Coletivo Puta Davida, fundada pela prostituta e escritora Gabriela Leite há mais de 30 anos. Desde 2013 está à frente da grife DASPU, uma passarela de resistência que desenvolve projetos e intervenções artísticas para dar visibilidade às questões relacionadas à sexualidade, gênero e prostituição em diálogo com os movimentos de prostitutas, LGBTQI+, putas feminismos, entre outres.

Mediação: Rafael Domingos Oliveira da Silva