Calendário

Eventos

Programação, temporada 2022

Balé da Cidade apresenta “Composição #3”

Theatro Municipal

19/12/2021 • 18h20/12/2021 • 20h21/12/2021 • 20h22/12/2021 • 20h

Encerrando as apresentações de 2021, o Balé da Cidade dança três obras pensadas e realizadas por bailarinos do elenco, que são acompanhadas por músicos da Orquestra Sinfônica Municipal, que, pela primeira vez, compuseram trilhas sonoras originais para este corpo artístico.

[Theatro Municipal – Cúpula]

“Composição #3”: Placebo, Olho D’Água e Aldeias Mortas

 

| PLACEBO |
“… o homem sonha, a obra nasce.”
Fernando Pessoa

Fernanda Bueno, concepção e direção
Helena Piccazio, Marcia Fernandes, Sanderson Cortez Paz e Vinicius Frate (integrantes da OSM), criação musical
Antônio Carvalho Jr, assistente de direção
Melissa Guimarães, desenho de Luz
Acervo de figurino do BCSP
Kleber Pagú, provocador
Carolina Franco, ensaiadora e condutora musical
Antônio Carvalho Jr., Fernanda Bueno e Yasser Díaz, criação colaborativa
Fernanda Bueno e Yasser Díaz, intérpretes

| OLHO D’ÁGUA |

Em uma viagem realizada para o estado do Amazonas tive a oportunidade de conhecer um pequeno trecho da selva amazônica. Após algumas horas num pequeno barco, fui surpreendido ao adentrar nesta grande floresta e conhecer uma parcela dos povos originários do meu país. Contemplando aquele belo cenário e inspirado nos povos indígenas do Brasil iniciei uma pesquisa para um projeto coreográfico. Neste workshop coreográfico do Balé da Cidade de São Paulo apresentarei um pequeno trecho desta pesquisa baseado na lenda Tupi-Guarani da Vitória Regia.

Conta a lenda que uma bela indígena chamada Naiá apaixonou-se por Jací, a Lua. Nos contos dos pajés e caciques, Jací descia à Terra para buscar alguma virgem e transformá-la em estrela no céu, para lhe fazer companhia. Naiá, ao ouvir isto, desejou também virar uma estrela.

Naiá sempre esperava a noite chegar para admirar Jaci, que parecia ignora-la, mas ela persistia. Pela manhã corria em sentido oposto ao Sol para tentar alcançar a Lua.
Noite e dia, Naiá corria incansavelmente atrás da Lua, até que começou a definhar. Numa dessas tentativas acabou caindo cansada próxima a um igarapé e quando despertou contemplou o reflexo da Lua nas águas. Não teve dúvidas, mergulhou nas águas e se afogou.

A Lua vendo isto a transformou numa estrela das águas. Seu destino não estava nos céus, mas nas águas. Naiá se transformou na Vitória Regia. 

Fabio Pinheiro, concepção, direção e coreografia
Helena Piccazio, Marcia Fernandes, Sanderson Cortez Paz e Vinicius Frate (integrantes da OSM), criação musical
Melissa Guimarães, desenho de Luz
Acervo de figurino do BCSP
Carolina Franco, ensaiadora e condutora musical
Alyne Mach, Carolina Martinelli, Erika Ishimaru, Marina Giunti e Rebecca Ferreira, intérpretes
         

| ALDEIAS MORTAS | 

“Aldeias Mortas” é uma peça de dança que nasce e acontece na sociedade do agora, feita com e para os indivíduos da contemporaneidade, líquida, dura, cega e com o senso de comunidade enfraquecido.

Para criar, educar, eduzir, deixar crescer livre um indivíduo, é necessária uma aldeia inteira como elucida o provérbio africano.

Mas onde está e onde mora hoje esse espírito de comunhão?

Este é um movimento que jorra de dentro e se mistura fora de quem cria, de quem dança, de quem toca, quem compõe, quem pinta, costura, ilumina, escreve e conduz
em direção ao resgate da alma coletiva.

São três os momentos que traçam a dramaturgia desta peça: a hipnose que enclausura; o limbo suspenso; a liberdade não é um fim.

Márcio Filho

Márcio Filho, concepção e coreografia
Helena Piccazio, Marcia Fernandes, Sanderson Cortez Paz e Vinicius Frate (integrantes da OSM), criação musical
Melissa Guimarães, desenho de Luz
Acervo de figurino do TMSP
Carolina Franco, ensaiadora e condutora musical
Bruno Rodrigues, Isabella Maylart, Harrison Gavlar, Manuel Gomes e Victoria Oggiam, intérpretes

 

Ingressos R$40
Classificação Livre
Duração total 60 minutos

Pensando, sempre, na proteção de nosso público, colaboradores e artistas, tendo em vista os cuidados quanto à transmissão da Covid-19, para assistir a este espetáculo é necessário seguir os protocolos de segurança estipulados em nosso Manual do Espectador (acesse aqui), que incluem, a partir de 11 de novembro, a apresentação do comprovante de vacinação.

Programa sujeito a alteração.

Quadrado rosa e roxo com uma imagem abstrata transparente. Na parte inferior esta escrito "Programa de Sala", "Clique Aqui". Direciona para o arquivo digital do programa de sala.

Quadrado rosa e roxo com uma imagem abstrata transparente. Na parte inferior esta escrito “Programa de Sala”, “Clique Aqui”. Direciona para o arquivo digital do programa de sala.