ELEKTRA, de Richard Strauss

Entre 9 e 20 de outubro apresentamos, pela primeira vez, a ópera Elektra, de Richard Strauss. Ópera em um único ato, sem intervalos, com 110 minutos aproximadamente, Elektra teve sua estreia em 25 de janeiro de 1909 em Dresden, na Alemanha.

O enredo é ambientado em Micenas, logo após a Guerra de Troia. Agamêmnon, um dos heróis da guerra, ao voltar pra casa é assassinado pela esposa Clitemnestra com ajuda do amante. Elektra, uma das filhas de Agamêmnon e Clitemnestra, deseja matar a mãe por vingança pela morte de seu pai.

O libreto, uma adaptação da peça escrita pelo poeta Hugo von Hofmannsthal, recria a narrativa do mito grego de Electra. Uma das mais prestigiadas criações do compositor alemão Richard Strauss, a ópera coloca foco nas relações e na psicologia dos personagens.

Na produção levada ao palco do Municipal, concebida pela diretora brasileira Livia Sabag, os personagens deixam de ser vilões e heroínas e se tornam figuras complexas e contraditórias da vida real contemporânea. A montagem se inspira em características dos filmes de Ingmar Bergman e Lars von Trier, famosos por retratarem personagens complexos e suas angústias.

Cenografia

O sombrio estará presente em todo o Palácio Real de Micenas, residência da família. A cenografia assinada por Nicolàs Boni será dividida em quatro ambientes: quintal, uma copa, um hall e um depósito, onde Elektra vive em meio a lembranças do pai Agamêmnon.

Música

Elektra é uma ópera famosa por sua intensidade musical. A grandiosidade é tanta que serão necessários quase 100 músicos da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo. À frente da orquestra estará o maestro residente Eduardo Strausser.

Além das fortes variações na música, as récitas são um desafio para as cordas vocais por causa dos trechos intensos de grande parte da composição. Ao todo, 74 cantores, sendo seis solistas, do Coro Lírico Municipal de São Paulo, sob a regência de Bruno Greco Facio, participarão de todas as apresentações.

 

Theatro Municipal de São Paulo apresenta: ELEKTRA

Richard Strauss

Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo – OSM

Coro Lírico Municipal de São Paulo

Eduardo Strausser, regência

Livia Sabag, concepção e direção cênica

Nicolàs Boni, cenografia

Fábio Namatame, figurinos

Caetano Vilela, iluminação

Bruno Greco Facio, regência do Coro Lírico Municipal

Elektra

Catherine Foster (9, 13, 16 e 20/10)

Eva Johansson (12, 15 e 18/10)

Clitemnestra

Natasha Petrinsky (9, 13, 16 e 20/10)

Susanne Resmark (12, 15 e 18/10)

Crisótemis

Emily Magee (9, 13, 16 e 20/10)

Melanie Diener (12, 15 e 18/10)

Egisto

Jürgen Sacher (9, 13, 12, 16, 15, 18 e 20/10)

Orestes

Albert Dohmen (9, 13, 16 e 20/10)

Johmi Steinberg (12, 15 e 18/10)

O Tutor de Orestes – Carlos Eduardo Marcos

A Confidente – Elayne Caser

A Camareira – Camila Rabelo

Um Jovem Serviçal  – Miguel Geraldi

Um Velho Serviçal  – Matheus França

A Governanta – Elaine Morais

Primeira Criada – Magda Painno

Segunda Criada  – Malena Dayen

Terceira Criada – Lidia Schäffer

Quarta Criada – Masami Ganev

Quinta Criada – Lina Mendes

Serviçais

Berenice Barreira

Larissa Alvarazzi

Keila de Moraes

Caroline Jadach

Elaine Martorano

Clarice Rodrigues

Programação sujeita a alterações.

Duração: 110 minutos – sem intervalos. Após o início do espetáculo, não será permitido sair e entrar novamente na sala.

Classificação indicativa: 16 anos

Ingressos de R$ 50 a R$ 160 (com meia-entrada para aposentados, maiores de 60 anos, professores da rede pública e estudantes).

Theatro Municipal

Praça Ramos de Azevedo, s/nº
Sé - São Paulo, SP
Ver no Mapa
Bilheteria 55 11 3053 2090

Praça das Artes

Avenida São João, 281
Sé - São Paulo, SP
Ver no Mapa
Telefone 55 11 4571 0401

Adquira seus ingressos

Compre Ingressos
Patrocínio
Bradesco
Apoio
Haitong Qualicorp
Gestão
Instituto Odeon
Realização
Fundação Theatro Municipal de São Paulo Prefeitura de São Paulo Ministério da Cultura
Apoio
Intranet Espaço do Servidor