Próximo Evento

A Escola

Uma das mais renomadas instituições de ensino musical da América Latina, a Escola Municipal de Música de São Paulo é responsável pela formação de diversas gerações de músicos em atividade profissional no Brasil e em outras partes do mundo. Fundada em 1969 pelo maestro e compositor Olivier Toni, desde o início de 2013 ela passou a integrar a Fundação Theatro Municipal de São Paulo e atualmente é coordenada pelo compositor Antonio Ribeiro. Marco da cultura e educação musical paulistana e nacional, seu corpo docente é constituído por professores doutores, mestres e especialistas de renome em âmbito nacional e internacional, muitos deles ex-alunos da própria Escola.

O objetivo da Escola Municipal de Música de São Paulo é prover uma profunda e diferenciada formação musical, de modo que os alunos estejam aptos a atuar como instrumentistas ou cantores profissionais em orquestras, coros, grupos camerísticos, na área de correpetição ou na carreira solista. Para tanto, há aulas individuais de instrumento e aulas coletivas de caráter teórico, bem como uma vivência musical ampla em grandes formações por meio das aulas de prática coral e prática de orquestra nos grupos estáveis da escola. Além disso, a instituição oferece as oficinas de Música Antiga, de Regência Coral, de Fisiologia da Voz e Fonética, o Opera Studio e o Ateliê de Música Contemporânea, atividades abertas à comunidade e voltadas a um aprofundamento nesses segmentos específicos.

A Escola Municipal de Música admite alunos a partir dos 9 anos completos, idade que varia de acordo com o curso pretendido. Os cursos regulares compreendem as aulas de instrumento ou canto e uma grade curricular de apoio, com disciplinas teóricas e práticas. Todas essas atividades são obrigatórias e ocorrem em diferentes dias e horários, exigindo dos estudantes que frequentem a Escola no mínimo 2 vezes por semana.

Todos os cursos oferecidos pela Escola Municipal de Música de São Paulo são gratuitos e permitem aos ingressantes o acesso às salas de estudo na Praça das Artes, acesso aos espetáculos da temporada lírica do Theatro Municipal e séries da Sala do Conservatório, bem como cotas de passe escolar municipal ou intermunicipal.

O horário de funcionamento da Escola é de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h às 21h, e aos sábados, das 8h às 16h.

Endereço:
Praça das Artes
Av. São João, 281 – 2º Andar
Tel.: +55 11 4571 0466

Cursos e Professores

Além de focar o desenvolvimento de habilidades e competências da performance instrumental ou do canto, os Cursos Livres da Escola Municipal de Música também oferecem as disciplinas obrigatórias Teoria e Percepção, Harmonia, Contraponto, Análise Musical e História da Música, garantindo assim uma formação musical plena e profunda. Os alunos também são conduzidos à experiência da prática em conjunto por meio das aulas de Música de Câmara e pela participação nos grupos estáveis da Escola Municipal de Música: Orquestra Infantojuvenil, Orquestra Sinfônica Jovem Municipal, Banda Sinfônica, Camerata de Violões, Conjunto de Violoncelos, Grupo de Sax, Consorte de Flauta doce, Grupo de Percussão, Coro Infantojuvenil e Coro Adulto da Escola Municipal de Música.

Professores de Canto Lírico

Edna de Oliveira

Eloisa Baldin

Carlos Eduardo Marcos

Laura de Souza

Maria Lúcia Waldow

Professores de instrumento

Clarinete

Daniel Cornejo

Marta Vidigal

Otinilo Pacheco

Contrabaixo

Marco Antonio Brucoli

Max Ebert

Cravo

Nicolau de Figueiredo

Fagote

Alexandre Silvério

Flauta doce

Bernardo de Toledo Piza

Helcio Müller

Flauta transversal

Helcio de Latorre

José Ananias

Rogério Wolf

Wilson Rezende

Harpa

Delcia Pereira Coelho

Oboé

Joel Gisiger

Roberto Araújo

Percussão

Elizabeth Del Grande

Piano

Alex Sandra Grossi

Fernando Tomimura

Margarida Fukuda

Marisa Lacorte

Renato Figueiredo

Scheilla Glaser

Piano Complementar

Daniel Matos

Piano Correpetidor

Dana Radu

Daniel Gonçalves

Juliano Kerber

Maria Emília de Moura Campos

Introdução à Regência Orquestral

Érica Hindrikson

Regência Coral

Naomi Munakata

Saxofone

Maurício de Souza

Samuel Pompeo

Trombone

Donizeti Fonseca

Gilberto Gianelli

Trompa

Luiz Garcia

Luciano Amaral

Trompete

Carlos Sulpício

Daniel D’Alcantara

Tuba/Eufônio

Luiz Ricardo Serralheiro

Viola

Alejandro de Léon

Henrique Müller

Marcos Fukuda

Violão

Everton Gloeden

Daniel Murray

Paulo Porto Alegre

Violino

Cecilia Guida

Cristina Rapp

Gabriel Gorun

Márcia Fukuda

Ricardo Takahashi

Violoncelo

Heloisa Meirelles

Ricardo Fukuda

 

Professores de disciplinas teóricas

Análise Musical

Arthur Rinaldi

Contraponto

Matheus Bitondi

Harmonia

Dante Cavalheiro

Matheus Bitondi

História da Música

Fernando Binder

José Ivo da Silva

Teoria e Percepção Musical – Adulto

Aída Machado

Arthur Rinaldi

Hermes Jacchieri

Marizilda Hein

Marcio Bassous

Teoria e Percepção Musical – Crianças

Mara Cimino

 

Professores de Música de Câmara

Jorge Salim

Rosana Civile

Fernando Tomimura

Hermes Jacchieri

Mauro Domenech

Oficinas

As Oficinas da Escola Municipal de Música são abertas à comunidade e propiciam aos seus participantes uma aprendizagem musical específica e complementar. A admissão é realizada mediante processo seletivo.

Inscrições abertas

Oficina de Regência Coral

A Fundação Theatro Municipal de São Paulo, por meio da Escola Municipal de Música de São Paulo, comunica que estão abertas até o dia 30 de junho de 2016 (até às 18 horas) as inscrições para o processo seletivo da oficina de Regência Coral a ser realizado de forma gratuita nas dependências da instituição.

Para se inscrever, o candidato deve preencher o formulário disponível aqui.

Edital completo: Oficina_Regência Coral_EDITAL_2016

Objetivos

A oficina tem como objetivo desenvolver as aptidões para a formação e aprimoramento de jovens regentes de corais, tais como fundamentos teóricos e técnicos, repertório, preparação de ensaios e técnica vocal.

Inscrições

Cada candidato poderá se inscrever somente para um único horário. Caso realize mais de uma inscrição, em horários diferentes, o candidato estará automaticamente eliminado de todo o processo seletivo. Uma vez a inscrição enviada, o candidato não poderá alterar a escolha. Após o envio do formulário, o candidato receberá um e-mail de confirmação da sua inscrição. Não há necessidade de se realizar qualquer tipo de assinatura digital. O candidato deverá preservar uma cópia do e-mail de confirmação de inscrição recebida até a publicação da listagem com o deferimento.

A lista com as inscrições deferidas será publicada até o dia 15 de julho de 2016 nesta página. As avaliações serão realizadas nas dependências da Escola de Música de São Paulo, situada no edifício da Praça das Artes, Av. São João, nº 281, 2º andar.

Processo seletivo

Poderão participar do processo seletivo candidatos que já possuam formação musical, com idades entre 18 e 35 anos completas até o dia 30 de junho de 2016. A decisão da Banca Julgadora é soberana, não cabendo ao candidato nenhum recurso, e terá como principais critérios de avaliação a análise do currículo resumido (máximo 20 linhas), entrevista e avaliação prática (leitura à primeira vista, regência, habilidade em canto e em instrumento – piano, cravo ou violão).

O candidato deverá submeter-se à avaliação na data e horário estipulados. O não comparecimento ou atraso implicam a eliminação do candidato. A escola não efetuará troca de data e horário da prova.
O candidato será submetido a uma breve entrevista e deverá reger perante a banca examinadora uma obra coral a quatro vozes (SATB) de livre escolha dentre as listadas abaixo.

G. P. Palestrina – O Crux ave spes unica 

F. A. Valotti – O vos omnes 

O número de candidatos convocados será determinado pelo número de vagas disponíveis para a oficina, sendo 15 (quinze) o número máximo. Caberá à Banca Julgadora a decisão do preenchimento completo ou parcial destas vagas. No dia da avaliação o candidato deverá trazer uma foto 3X4. Casos omissos serão julgados pela Coordenação Artística da Escola de Música de São Paulo. As provas serão realizadas no dia 3 de agosto de 2016, em horário que será agendado previamente. A lista com os candidatos selecionados será divulgada até o dia 10 de agosto de 2016 aqui nesta página.

Docente

Naomi Munakata
Regente Honorária do Coro da Osesp – título que recebeu em 2014 –, Naomi Munakata iniciou seus estudos musicais ao piano aos quatro anos de idade e começou a cantar aos sete, no coral regido por seu pai, Motoi Munakata. Estudou ainda violino e harpa. Formou-se em Composição e Regência em 1978, pela Faculdade de Música do Instituto Musical de São Paulo, na classe de Roberto Schnorrenberg. A vocação para a regência começou a ser trabalhada em 1973, com os maestros Eleazar de Carvalho, Hugh Ross, Sérgio Magnani e John Neschling. Anos depois, essa opção lhe valeria o prêmio de Melhor Regente Coral, pela Associação Paulista dos Críticos de Arte. Estudou ainda regência, análise e contraponto com Hans Joachim Koellreutter. Como bolsista da Fundação VITAE, foi para a Suécia estudar com o maestro Eric Ericson. Em 1986, recebeu do governo japonês uma bolsa de estudos para aperfeiçoar-se em regência na Universidade de Tóquio. Foi diretora da Escola Municipal de Música de São Paulo, diretora artística e regente do Coral Jovem do Estado, regente assistente do Coral Paulistano e professora na Faculdade Santa Marcelina e na Faam.

Inscrições encerradas

Veja os selecionados abaixo:

OFICINA DE INTRODUÇÃO À FISIOLOGIA DA VOZ E À FONÉTICA: MECANISMOS DE PRODUÇÃO E PERCEPÇÃO DA VOZ CANTADA

O principal objetivo desta oficina é apresentar conceitos básicos da fisiologia da voz e da fonética, assim como descrever as estruturas e os mecanismos envolvidos na produção e na percepção da voz cantada. Além disso, a oficina irá oferecer um primeiro contato com o Alfabeto Fonético Internacional (IPA) e com suas possibilidades como ferramenta para o aprendizado e aprimoramento da dicção em vários idiomas, demanda recorrente do canto.

Maria Lúcia Waldow

Mestre em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela PUC-SP. É bacharel em Canto pela UNESP e em Comunicação Social pela FAAP. Possui extensões em Fisiologia da Voz Falada e Cantada; Análise Acústica da Voz Profissional e Patológica (INVOZ) e em Introdução à Análise Acústica da Fala e da Voz (COGEAE-SP). Como cantora, atuou diversas vezes na Europa (Itália, França e Croácia) com grupos vocais brasileiros, apresentando-se também como solista. Em ópera, estreou no papel de Karolka, na primeira montagem brasileira de “Jenufa”, de L. Janácek, sob regência de Ira Levin.  Como camerista, tem se apresentado em importantes salas e séries de concertos do país. Em 2014, foi a mezzo-soprano solista da estreia mundial da obra “A Geladeira”, de Paulo Chagas, junto ao Núcleo Hespérides, sob regência de Ricardo Bologna. Exerce atividade pedagógica na área de preparação e técnica vocal desde 1998 e integrou, por mais de dez anos, o cCoral Paulistano Mário de Andrade. Atualmente integra o corpo de professores da Escola Municipal de Música da FTMSP, participa do Grupo de Pesquisa e Estudos sobre a Fala e atua como solista e camerista.

O período para o envio da ficha de inscrição ocorrerá entre a data de publicação desta chamada e o dia 21 de março de 2016.

Fisiologia_da_Voz_EDITAL_2016

Oficina de Introdução a Fisiologia da Voz – Candidatos Aprovados_Suplentes_2016

OFICINAS DE CANTO BARROCO E CORDAS BARROCAS (VIOLINO, VIOLA E VIOLONCELO)

Em trabalho conjunto coma Oficina de Música Antiga, proporciona ao aluno fundamentos teóricos e técnica especializada para a análise e interpretação historicamente informada da música do período barroco, fornece conhecimentos históricos e estilísticos para abordagem desse período, além de uma visão crítica que o permitirá refletir, analisar e tomar decisões conscientes sobre o repertório que está interpretando.

O período para o envio da ficha de inscrição ocorrerá entre a data de publicação desta chamada e o até às 18 horas do dia 21 de março de 2016.

Oficina de Canto Barroco e Cordas Barrocas_Aprovados_2016_1 SEM

Oficina_Canto_Cordas_Barrocas_EDITAL_2016

Oficina de Canto Barroco e Codas Barrocas_Inscrições Deferidas_2016_1 SEM (1)

Coordenadores: Marília Vargas e Juliano Buosi

Marília Vargas

Debutou no Teatro Guaíra, aos 12 anos, como o Pastor na ópera Tosca, sob direção do maestro Alceo Bocchino. Estudou com Neyde Thomas, Montserrat Figueras, Christoph Prégardien, Silvana Bartoli e Barbara Bonney. Foi premiada nos concursos Bidu Sayão, Maria Callas, Friedl Wald Stifftung e Margherite Meyer.

Divide seu tempo entre concertos, aulas, masterclasses e festivais de música, que atuando regularmente em diversos países da Europa, América Latina e Ásia.

É solista em diversos ensembles e orquestras  já realizou concertos em diversos importantes teatros, destacando-se o Theater Basel, Stadt Casino Bern, Tonhalle Zürich, Wiener Konzerthaus, Theatro Municipal do Rio de Janeiro, dentre muitos outros. Possui extensa discografia como solista e inúmeras gravações para rádio e TV brasileiras e europeias. É também professora de Canto Barroco na Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP), preparadora vocal do Coral Jovem do Estado e professora da Oficina de Música Barroca da Escola Municipal de Música de São Paulo.

Juliano Buosi

Iniciou seus estudos musicais em 1988 no Conservatório Estadual de Música em Pouso Alegre – MG e é Bacharel e Mestre pela Universidade Estadual de Campinas. Em 2002 mudou-se para Espanha, onde se graduou em violino barroco na Escola Superior de Musica de Catalunya (ESMUC), tendo como professores Manfredo Kraemer e Pablo Valetti. Desde então desenvolve seus estudos de música antiga, participando de diversos festivais nesta área tanto no Brasil quanto no exterior, nos quais trabalhou com diversos professores, tais como Luis Otavio Santos, Edmundo Hora, Manfredo Kraemer, Rinaldo Alessandrini, Gabriel Garrido, Jordi Savall, dentre outros. Participou de vários grupos e orquestras na área de música antiga, além de inúmeras gravações para rádios, tvs e discos. É professor da Oficina de Música Barroca da Escola Municipal de Música, professor de violino/viola barrocos no Departamento de Performance Histórica do Conservatório de Tatuí-SP e doutorando no curso de pós-graduação da Unicamp.

 

OFICINA DE MÚSICA ANTIGA

O período para o envio da ficha de inscrição ocorrerá entre a data de publicação desta chamada até às 18 horas do dia 21 de março de 2016.

A Oficina de Música Antiga da Escola de Música de São Paulo tem como objetivo iniciar o desenvolvimento de aptidões necessárias à interpretação historicamente orientada do repertório dos séculos XVII e XVIII, tanto para cantores e instrumentistas solistas, quanto para as formações camerísticas referentes ao período.

Coordenador: Nicolau de Figueiredo

Professor da Escola Municipal de Música de São Paulo, Nicolau de Figueiredo foi professor do Conservatório de Paris e tem integrado diversos grupos internacionais de música. O cravista saiu do Brasil em 1980 para morar na Suíça, onde permaneceu por 24 anos. Também é organista e regente, dedica-se ao repertório dos séculos XVII e XVIII. Em 2006 recebeu o prêmio Choc pela gravação das 13 sonatas de Domenico Scarlatti. Orientado por Christiane Jaccottet ao cravo e por Lionel Rogg ao órgão, obteve, em 1984, o 1º Prêmio de Virtuosidade de Cravo do Conservatório de Genebra. Venceu os concursos internacionais de Nantes (1984) e de Roma (1985). O cravista foi diretor musical de ópera da Schola Cantorum Basiliensis (Suíça) e ensinou interpretação do repertório barroco no Conservatório de Paris. Atua como solista junto à Freiburger Barockorkester, Europa Galante, entre outros grupos. Participa dos mais famosos festivais europeus, como La Roque d’Anthéron, Les Folles Journées, Festival d’Aix-en-Provence e Festival d’Ambronay.

Oficina de Música Antiga – Aprovados_2016_1 SEM

Oficina_Musica_Antiga_EDITAL_2016

Oficina de Música Antiga_Inscrições Deferidas_2016_1 SEM (1)

Inscrições encerradas:

MÚSICA E INCLUSÃO: O QUE TODO PROFESSOR PRECISA SABER

O período para o envio da ficha de inscrição ocorrerá entre a data de publicação desta chamada e o dia 12 de novembro de 2015.
O objetivo da atividade é oferecer aos interessados recursos para atuarem no contexto pedagógico inclusivo musical. Os assuntos abordados serão: os três paradigmas educacionais; história da pessoa com deficiência em nossa sociedade; terminologias vigentes e dados estatísticos; formação do professor para atuar na inclusão; ficha de saúde e anamnese; adaptações e tecnologia assistiva para aulas de música; educação musical, deficiência intelectual e autismo. A oficina terá por metodologia aulas expositivas alternadas por vídeos explicativos e discussões de casos reais da prática pedagógica musical da docente, além de atividades práticas. Selecionados e suplentes, veja lista: Oficina Música e Inclusão_lista. Mais informações aqui.

MÚSICA E PSICOMOTRICIDADE: INTERFACES ENTRE ARTE, CORPO E MENTE
Inscrições encerradas em outubro/2015

Divulgada lista de aprovados para a oficina “Música e Psicomotricidade: Interfaces entre Arte, Corpo e Mente.” A lista consta entre os arquivos disponíveis para download abaixo, em formato PDF. Os candidatos selecionados deverão confirmar a sua participação na oficina através do e-mail emmsp.inscricao@gmail.com até o dia 15 de outubro de 2015. Caso não confirme a participação até a data estipulada, o candidato será automaticamente eliminado
A oficina “Música e Psicomotricidade: Interfaces entre Arte, Corpo e Mente”, será realizada de forma gratuita nas dependências da Escola Municipal de Música com Viviane Louro, doutoranda em Neurociências pela UNIFESP, Mestre em música pela UNESP, Bacharel em piano pela FAAM  e especialista em educação musical inclusiva. Viviane é autora de 4 livros sobre educação musical inclusiva com enfoque na psicomotricidade, utilizados em diversas universidades públicas e privadas no Brasil.

Objetivos
A oficina visa introduzir o público ao tema, com o objetivo de direcionar tal conhecimento para a prática pedagógica musical. Serão abordados, de forma sucinta, os seguintes tópicos: bases do aprendizado pelos Blocos de Luria; filogênese; Leis invariáveis do desenvolvimento; tipos de atenção e memória e a relação com o aprendizado; bateria psicomotora de Vitor da Fonseca; atividades psicomotoras para educação musical; atividades musicais para desenvolvimento psicomotor. A oficina terá por metodologia aulas expositivas entremeadas por vídeos explicativos e discussões de casos reais da prática pedagógica musical da docente, além de atividades práticas.
As atividades serão realizadas nos dias 17 e 24 de outubro (sábados), das 9h às 16h30.

Arquivos para download

Alunos aprovados e suplentes – Oficina Música e Psicomotricidade2015

EDITAL: Música e Psicomotricidade (PDF)

Ficha de Inscrição: Música e Psicomotricidade (.doc)

 

NEUROCIÊNCIAS E MÚSICA: APLICABILIDADES PEDAGÓGICAS

Inscrições encerradas. Confira a lista de aprovados e informações para matrícula no link Processo Seletivo

As neurociências estudam como o cérebro aprende, percebe, interage e se relaciona com o meio interno e externo, bem como suas disfunções. É uma ciência que vem crescendo sensivelmente e dialogando com diversas áreas do conhecimento, tais como a psicologia, marketing, educação e artes.

Objetivos do curso
O curso tem por objetivo abordar como a neurociência pode contribuir com o processo de ensino-aprendizagem de música. Serão abordados, de forma sucinta, os seguintes temas:
funcionamento básico do sistema nervoso central e periférico, bases neurológicas da música, audição, processamento auditivo central e o ensino musical, problemas de aprendizagem musical à luz das neurociências.

A oficina terá por metodologia aulas expositivas entremeadas por vídeos explicativos e discussões de casos reais da prática pedagógica musical da docente.

OFICINA DE MÚSICA ANTIGA

Inscrições encerradas

Coordenador: Nicolau de Figueiredo

Nesta oficina, pretende-se iniciar o desenvolvimento de aptidões necessárias à interpretação historicamente orientada de repertório dos séculos XVII e XVIII, tanto para cantores e instrumentistas como para formações camerísticas.

Objetivos do Curso

Oferecer subsídios interpretativos para a atuação historicamente informada de cantores solistas;
Oferecer subsídios interpretativos para a atuação historicamente informada de instrumentistas solistas;
Constituição e prática de grupos camerísticos instrumentais e mistos;
Constituição e prática grupo vocal (madrigal).

Nicolau de Figueiredo

Professor da Escola Municipal de Música de São Paulo, Nicolau de Figueiredo foi professor do Conservatório de Paris e tem integrado diversos grupos internacionais de música. O cravista saiu do Brasil em 1980 para morar na Suíça, onde permaneceu por 24 anos. Também organista e regente, dedica-se ao repertório dos séculos XVII e XVIII. Em 2006 recebeu o prêmio Choc pela gravação das 13 sonatas de Domenico Scarlatti. Orientado por Christiane Jaccottet ao cravo e por Lionel Rogg ao órgão, obteve, em 1984, o 1º Prêmio de Virtuosidade de Cravo do Conservatório de Genebra. Venceu os concursos internacionais de Nantes (1984) e de Roma (1985). O cravista foi diretor musical de ópera da Schola Cantorum Basiliensis (Suíça) e ensinou interpretação do repertório barroco no Conservatório de Paris. Atua como solista junto à Freiburger Barockorkester, Europa Galante, entre outros grupos. Participa dos mais famosos festivais europeus, como La Roque d’Anthéron, Les Folles Journées, Festival d’Aix-en-Provence e Festival d’Ambronay.

Arquivos para download

Candidatos Selecionados – Oficina de Música Antiga (PDF)

Retificação Edital – Oficina de Música Antiga

Edital atualizada – Oficina de Música Antiga

 

OFICINA DE ÓPERA

Inscrições encerradas

Coordenadores: Gabriel Rhein-Schirato e Laura de Souza

O objetivo principal desta Oficina é iniciar o desenvolvimento de aptidões necessárias à formação operística de jovens cantores, tais como atuação, preparação de repertório, preparação cênica, correpetição, construção de personagem, consciência corporal, técnica vocal, entre outras.

 

Gabriel Rhein-Schirato 

Maestro-assistente da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais desde 2011, Gabriel Rhein-Schirato fez seu bacharelado no Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes da USP, sob orientação de Gilberto Tinetti, Aylton Escobar e Marco Antônio da Silva Ramos. Especializou-se e concluiu sua pós-graduação em Stuttgart e Bremen, sob orientação de Patrick O’Byrne. Em 2007, foi aceito na Accademia Superiore Città della Musica e del Teatro de Pescara, Itália. Estudou técnica e repertório vocal com Benito e Isabel Maresca.
À frente da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, tem apresentado diversas obras do repertório sinfônico, operístico e, eventualmente, popular. Em 2012 e 2013, regeu a ópera Madama Butterfly e Un Ballo in Maschera em Belo Horizonte.
De 2009 a 2011, foi maestro-preparador no Coral do Amazonas, no Festival Amazonas de Ópera. Regeu, em 2013, a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo em uma das récitas comemorativas dos 45 anos de fundação do Balé da Cidade no Theatro Municipal de São Paulo.

Laura de Souza – Soprano

Estudou em Hamburgo, Paris, Milão e Munique, tendo como mestres Ugo Ugaro, Eduardo Abumrad e Thomas Tipton. Obteve o Primeiro Grande Prêmio no Concurso Internacional de Canto do Rio de Janeiro, em 1991. Integrou o elenco estável do Staatstheater Kassel e do Deutsches Nationalteather Weimar – Alemanha e atuou em teatros tais como Aalborg Theater – Dinamarca, Bolshoi Theater Minsk – Bielorússia, Openair Opera Festival – Hamburgo, Kloster Maulbronn, Filarmonia de Colônia, Deutsches Theater München, Filarmonia de Berlim, Nationaltheater Mannheim – Alemanha. No Brasil, apresentou-se, ao longo de seus 25 anos de carreira, no Theatro Municipal de São Paulo, Teatro Alfa, Teatro São Pedro, Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Sala Cecília Meirelles, Palácio das Artes, Sala São Paulo, entre outros.Dentre seus principais papéis operísticos setão Tosca, Madama Butterfly, Suor Angélica, Sieglinde, Elisabeth, Ariadne, Alice Ford e Santuzza. Realizou em 2005 a estreia latino-americana de Erwartung, de A. Schoenberg, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Participou do Festival Amazonas de Ópera, Festival de Inverno de Campos de Jordão, Festival de Ópera do Theatro da Paz, Brazil Arts Festival em Tempe (Arizona – EUA), Latin Arts and Music Festival (Mount Pleasant – EUA), Europäische Wochen Passau, Rheinisches Musikfest em Bonn, Dresdner Musikfestspiele, Projeto Aquarius no Rio de Janeiro e Projeto Mahler em Bogotá. Leciona Canto Lírico na Escola Municipal de Música de São Paulo e Canto Erudito, Música de Câmara e Técnica Corporal para Cantores no Ópera Estúdio da Escola de Música do Estado de São Paulo – EMESP Tom Jobim.

Processo Seletivo

A Escola Municipal de Música realiza processos de seleção para seus cursos regulares e para suas oficinas em geral duas vezes ao ano. Os editais com as aberturas de vagas são divulgados aqui e apontados nas páginas da Escola nas redes sociais.

O processo seletivo dos cursos regulares é composto de duas fases:

  • Teste auditivo (eliminatório): diferenciação básica de características sonoras de instrumentos musicais, noções de registro agudo, médio e grave, teste de reconhecimento rítmico elementar.
  • Teste prático: audição diante de banca examinadora conforme regras e repertório estabelecidos para cada instrumento ou canto (o repertório exigido pela banca obedece ao critério da idade do candidato).

Inscrições abertas

II Processo Seletivo 2016

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo de novos alunos para os cursos regulares da Escola de Música de São Paulo a partir do segundo semestre do ano letivo de 2016. Os cursos objetos do presente edital são totalmente gratuitos. 

Inscrições

Para se inscrever o candidato deverá preencher um formulário disponível aqui até às 18 horas do dia 4 de julho de 2016.

Cada candidato poderá se inscrever somente para um único instrumento. Caso realize mais de uma inscrição, o candidato estará automaticamente eliminado de todo o processo seletivo. Uma vez a inscrição enviada, o candidato não poderá alterar a escolha do instrumento. Após o envio do formulário o candidato receberá um e-mail de confirmação da sua inscrição. Não há necessidade de se realizar qualquer tipo de assinatura digital. O candidato deverá preservar uma cópia do e-mail de confirmação de inscrição recebida até a publicação da listagem com o deferimento.

Veja o edital completo: EMMSP_II Processo Seletivo 2016_EDITAL

Processo Seletivo

O processo seletivo para o 2º semestre de 2016 será realizado em uma única etapa. O candidato deverá realizar a avaliação na data e horário estipulados pela diretoria da escola, a serem publicadas no endereço eletrônico supracitado. O número de candidatos convocados será determinado pelo número de vagas disponíveis para cada instrumento, que será estipulado após o término do 1º
semestre letivo do ano de 2016. Poderão se inscrever no processo seletivo os candidatos que tenham completado a idade mínima solicitada no respectivo instrumento até o dia 04 de julho de 2016. O repertório exigido pela banca será correspondente à faixa etária que o candidato possuir no dia da prova.

Período de inscrições

As inscrições deverão ser realizadas após a publicação deste edital até as 18 horas do dia 04 de julho de 2016. Não serão aceitas inscrições presenciais na sede da instituição. A listagem com todas as inscrições deferidas, bem como as datas e os horários do teste prático, será publicada até o dia 15 de julho de 2016. O candidato que se inscrever e não constar na listagem deverá entrar em contato com a escola através do email emmsp.inscricao@gmail.com até 17 de julho de 2016.

Documentos para avaliação

O processo seletivo é presencial, portanto o candidato deverá comprovar sua identidade por meio da apresentação de documento oficial com foto (RG / RNE/ Passaporte / CNH ou Carteira de Trabalho). O candidato que não apresentar nenhum dos documentos citados não poderá realizar a prova e será eliminado do processo seletivo.

Material exigido para a avaliação

Para a avaliação o candidato deverá comparecer à sede da Escola Municipal de Música de São Paulo.
– É obrigatório o candidato levar seu próprio instrumento. A exceção somente se dá aos inscritos para piano, cravo, percussão ou harpa;
– O candidato aos cursos de tuba, fagote, contrabaixo, se assim desejarem, poderão utilizar os instrumentos da própria escola;
– A Escola não disponibilizará nenhuma partitura para realização dos testes;
– Todos os candidatos deverão trazer suas próprias partituras.

Candidatos aprovados e suplentes do I Processo Seletivo 2016:

Processo seletivo 2016 – Lista_Aprovados

Processo seletivo 2016 – Lista_Suplentes

Em todas as etapas presenciais do processo seletivo, o candidato deverá comprovar sua identidade por meio da apresentação de documento oficial, recente, com foto (RG / RNE / Passaporte / CNH ou Carteira de Trabalho). Os candidatos deverão trazer na Fase 2 – prática, 1 (uma) foto 3 X 4 recente. Os participantes que não apresentarem nenhum dos documentos citados serão automaticamente eliminados do processo seletivo.

Para as duas fases previstas para a realização do processo seletivo os candidatos deverão comparecer à sede da Escola de Música de São Paulo munidos de:

– Conforme Edital, todos os candidatos deverão trazer seus próprios instrumentos para o teste prático, à exceção dos inscritos para piano, cravo, percussão e harpa;

– Os candidatos aos cursos de tuba, fagote, contrabaixo, se assim desejarem, poderão utilizar os instrumentos da própria escola;

– Todos os candidatos deverão trazer suas próprias partituras;

- Todos os candidatos deverão trazer 01 foto 3X4 recente.

Obs.: A Escola de Música de São Paulo não efetuará troca de data e/ou horário.

EMMSP_Processo Seletivo 2016 – EDITAL

Inscrições encerradas

Foram encerradas no dia 6 de dezembro de 2015 as inscrições para o processo seletivo de novos alunos para os cursos regulares da Escola de Música de São Paulo a partir do primeiro semestre do ano letivo de 2016. Os cursos objetos do presente edital são totalmente gratuitos.

Foi possível realizar a inscrição somente para um único instrumento. Caso tenha sido realizada mais de uma inscrição, o candidato estará automaticamente eliminado de todo o processo seletivo.

Até o dia 10 de dezembro de 2015 será publicada a listagem com todas as inscrições deferidas, bem como a data e os horários dos testes auditivos (a data inicial, 08/12, para divulgação dos selecionados foi alterada devido à mudança na data de inscrição). O resultado dos selecionados para realizarem o teste prático – Fase 2 (eliminatória) será divulgado a partir de 22 de janeiro de 2016 (a data divulgada primeiramente era a de 20/01, mas por questões técnicas o prazo foi adiado). As publicações ocorrerão no site do Theatro Municipal de São Paulo nesta página da Escola Municipal de Música de São Paulo.

Fase 1: Teste auditivo (eliminatória):
O processo seletivo será realizado de 14 a 18 de dezembro de 2015, na sede da Escola de Música de São Paulo à Avenida São João nº 281, e constará de questões de múltipla escolha, eliminatória. Importante: os selecionados deverão chegar 15 minutos antes da prova.

Saiba mais: Oficinas

 

 

 

 

Grupos internos

Orquestra Sinfônica Jovem Municipal

A Orquestra Sinfônica Jovem Municipal foi criada em 3 de abril de 1968 pelo Decreto nº 7.429/68, graças à iniciativa política do Prefeito de São Paulo José Vicente Faria Lima e do Maestro Olivier Toni, seu primeiro regente.  Nasceu com o objetivo de abrir novas perspectivas de atuação musical para jovens instrumentistas e promover o aprimoramento artístico daqueles que seriam os futuros integrantes da Orquestra Sinfônica Municipal. Em 1990, a orquestra sofreu uma reformulação que resgatou sua função eminentemente pedagógica. Além da prática orquestral, ela tem possibilitado aos alunos e professores da Escola a atuarem no conjunto orquestral como solistas. Alguns compositores já escreveram obras exclusivamente para o grupo, trazendo aos seus integrantes uma posição privilegiada no cenário musical atual.

Em 2012 a Maestrina Erica Hindrikson passou a ser sua nova regente. Desde então, a Orquestra tem desenvolvido com os alunos da Escola um repertório orquestral brasileiro e tradicional, que vai desde o período barroco até o contemporâneo.

Érica Hindrikson – regente

Graduada em Composição e Regência pela UNESP, estudou com os maestros Eleazar de Carvalho, Roberto Duarte, Naomi Munakata, Maria Benzecry, entre outros. Foi bolsita da OEA no Curso Interamericano para jovens regentes de orquestra na Venezuela. Em 1995 venceu o concurso para regente assistente da Orquestra Experimental de Repertório, permanecendo nesse cargo até junho de 2000. Em 1997 venceu o 1º Concurso para Regentes da Orquestra Sinfônica do Chile. Foi regente assistente da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo e maestrina assistente do Coral Lírico do Teatro Municipal de São Paulo. De 2005 a 2008 foi maestrina da Camerata Callis, grupo criado com o objetivo de divulgar a música erudita nas escolas de São Paulo. Foi professora de percepção musical no Centro de Estudos Musicas Tom Jobim. Regeu diversas orquestras nacionais e latino-americanas, dentre elas a Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, Orquestra Jovem Eleazar de Carvalho, Orquestra Jazz Sinfônica, Orquestra de Câmara Guayreña (Paraguai), Orquestra Sinfônica de lós Llanos Occidentales (Venezuela), Orquestra Sinfônica de Lara (Venezuela), Orquestra Sinfônica do Chile, Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo e o coro e orquestra da Camerata Antiqua de Curitiba.

Orquestra Sinfônica Infantojuvenil de Escola Municipal de Música de São Paulo

A Orquestra Sinfônica Infantojuvenil da Escola Municipal de Música de São Paulo foi fundada em 2002, tendo como primeira regente a professora Gretchen Miller. O grupo foi criado com o objetivo de proporcionar aos alunos de 10 a 18 anos a primeira experiência musical de conjunto sinfônico. Atualmente tem como regente o maestro Daniel Cornejo.

Daniel Cornejo – regente

Bacharel em Clarinete pela UNESP e pós-graduado em Gestão Cultural pelo SENAC-SP, integrou as principais orquestras paulistanas. É também diretor artístico e regente titular da Orquestra Filarmônica Infantojuvenil de São Paulo. Participou de diversas produções como músico, diretor musical, regente e produtor. Foi responsável pelos musicais “Histórias que o vento contou…” (2010/11), patrocinado pelos Correios, Atech e ProAC, “Pedro e o Lobo – Uma Versão Brasileira” (2012/13), patrocinado pela CPFL (Proac ICMS) e Caixa Cultural, e “João e Maria” (2014) patrocinado pela Ambev (Proac ICMS).

Banda Sinfônica da Escola Municipal de Música de São Paulo

Criada em 2015, a Banda Sinfônica da Escola Municipal de Música de São Paulo nasceu com o intuito de disponibilizar aos alunos da área as experiências indispensáveis advindas da prática de conjunto. Todo um rico e importante repertório está ao alcance dos estudantes de sopros e de percussão, dotando-os de uma paleta variada de vivências específicas da performance em um grupo desta natureza.

Dario Sotelo – regente

Regente Titular da Orquestra de Sopros Brasileira do Conservatório de Tatuí e da recém-criada Banda Sinfônica da Escola Municipal de Música de São Paulo, presidente eleito da WASBE (World Association for Symphonic Bands and Ensembles), é formado em piano, violino e viola, e também Mestre em Regência Orquestral pela “City University” em Londres.

Participou como professor, conferencista, maestro convidado e jurado em diversos festivais e concursos de música em âmbito nacional e internacional: Festival de Wattwill (Suiça), Universidade da Georgia, associações musicais no Kentucky e Minnesota, Festival de Sopros da Universidade da Califórnia, Brisbane (Austrália), Colômbia, Irlanda, Reino Unido, Espanha, Alemanha, Hungria, dentre muitos outros eventos musicais ao redor do mundo. Atuou em conjuntos de música de câmara e como violinista na Orquestra Sinfônica de Tatuí na década de 1980, foi Concertino da Orquestra de Cordas Corelli entre 1994 e 1995, assim como diretor artístico e regente da Orquestra Sinfônica Paulista. Esteve à frente de 140 estreias de obras desde 1986, sendo 70 delas de compositores brasileiros.

Coro Adulto da Escola Municipal de Música de São Paulo

A prática coral enriquece a cultura musical dos alunos, e por meio dela conhecem repertório de diversos estilos e épocas. Ao partir dessa premissa, o Coro Adulto da Escola Municipal de Música tem como objetivo, além do enriquecimento cultural, proporcionar prática de conjunto aos alunos de canto e também de instrumento, desenvolvendo a escuta de conjunto. Além disso, são igualmente trabalhadas questões como percepção musical, afinação e expressão vocal em grupo, aprimoramento de técnica vocal e solfejo musical. Atualmente, o Coro Adulto da Escola Municipal de Música de São Paulo é dirigido por Sérgio Wernec.

Sérgio Wernec – regente

Bacharel em Composição e Regência pela UNESP. Atua como cantor solista junto a importantes orquestras. Estudou piano com João Torquato e Carlos Albertini, regência com José Ferraz de Toledo, Abel Rocha e canto com Maria Cecília de Oliveira e, atualmente, com Isabel Maresca. Tem participado como professor convidado de festivais de música, além de ministrar workshops de canto coral e diversas oficinas pelo interior de São Paulo. É regente e diretor artístico do Coro Jovem Sinfônico de São José dos Campos, Coral Musicativa de Mogi das Cruzes, Coral da UNAI, além de ter atuado como convidado à frente da Orquestra Sinfônica de Mogi das Cruzes. Integrou o Coral Sinfônico do Estado de São Paulo, Coro da OSESP e Coral Paulistano Mário de Andrade (2002-2013). Foi regente assistente do Coral Paulistano e desde janeiro de 2014 é regente assistente do Coro Lírico do Theatro Municipal de São Paulo. Desde maio de 2015 é professor de Coro Adulto da Escola Municipal de Música de São Paulo.

Coro Infantojuvenil da Escola Municipal de Música de São Paulo

O Coro Infantojuvenil da Escola Municipal de Música de São Paulo foi criado durante a gestão de Marisa Fonterrada, coordenadora artística da Escola Municipal de Música de 1977 a 1986, e teve inicialmente como regentes a maestrina Naomi Munakata e assistência do Prof. Dante Cavalheiro. Findada a gestão de Marisa Fonterrada, o Coro Infantojuvenil foi desativado, tendo sido retomado somente na gestão de Henrique Autran Dourado (1989-1997), então sob a regência de Mara Campos. O grupo foi assumido pela maestrina Regina Kinjo em 2011, que o dirige até os dias atuais. Atividade obrigatória para os alunos da Escola Municipal de Música com até 14 anos de idade, a participação no Coro Infantojuvenil objetiva o desenvolvimento de repertório coral adequado à referida faixa etária, além da prática de solfejo e de exercícios técnicos vocais e respiratórios. O Coro Infantojuvenil tem obtido destaque nas temporadas musicais da cidade de São Paulo, como, por exemplo, em sua participação na ópera “I Pagliacci”, título integrante da temporada lírica de 2014 do Theatro Municipal de São Paulo, e no musical “Os Saltimbancos”, apresentado junto à Banda Sinfônica do Estado de São Paulo.

Regina Kinjo – regente

É regente do Coral Infantojuvenil na Escola Municipal de Música de São Paulo, do Madrigal “Sempre en Canto” e Coral do Colégio Oshiman. Já trabalhou em diversos projetos e instituições como: Projeto Guri, Emesp Tom Jobim, Meninos do Morumbi, Instituto Baccarelli e Coral Vozes da Infância em João Pessoa na Paraíba. Com experiência na área musical desde 1990, ministrou aulas no Festival de Inverno de Campos do Jordão, Curitiba, Festival de Artes de Itu, Bragança Paulista, Poços de Caldas e Lages, além de Workshops diversos.

Resultado de sua intensa atividade, apresentou-se com seus grupos corais em eventos como Prêmio Itaú UNICEF no Credicard Hall, Natal na Praça Júlio Prestes, Projeto Guri e Toquinho na Sala São Paulo, Natal da ULM com Lobão – Memorial da América Latina e SESC, Projeto Guri – Fortuna e Monges Beneditinos e Aprendiz de Maestro, com o Maestro João Maurício Galindo e os atores Cássio Scapin e Andréa Bassit. Realizou concertos com Orquestras e Bandas Sinfônicas, a convite dos Maestros Roberto Sion, Mônica Giardini e Abel Rocha. Dirigiu o coro da ópera I Pagliacci, realizado no Centro de Cultura Judaica, a convite do Diretor Iacov Hillel.

Grupo de Percussão da Escola Municipal de Música de São Paulo

Elizabeth Del Grande – direção musical

O Grupo de Percussão da Escola Municipal de Música de São Paulo foi fundado em 1969 pelo professor Ernesto de Lucca, criador do movimento percussivo que tomou conta do estado de São Paulo após os anos 70 e quem fez as primeiras audições de obras de grande importância para o repertório de música contemporânea para percussão, tais como os “3 Estudos para Percussão”, de Osvaldo Lacerda e “O Poço e o Pêndulo”, de Mario Ficarelli.

O grupo tem como objetivo desenvolver a prática da música de câmara para percussão. Com isso, os alunos podem não somente aperfeiçoar a prática de seu instrumento em conjunto, mas também conhecer o repertório composto para essa formação.

Pelo Grupo de Percussão passaram nomes importantes do cenário musical brasileiro, tais como Elizabeth Del Grande, Carlos Tarcha, Ricardo Bologna, Joaquim Abreu, Eliana Sulpício, Ari Colares, dentre muitos outros. Atualmente é dirigido por Elizabeth Del Grande.

Camerata de Violões da Escola Municipal de Música de São Paulo

Paulo Porto Alegre – direção musical

A Camerata de Violões da Escola Municipal de Música de São Paulo foi criada em 2015 com o objetivo de oferecer aos alunos de violão a possibilidade da prática de conjunto, introduzi-los a um repertório artística e pedagogicamente rico, e iniciá-los ao universo de experiências específicas da performance em grupo. Vale ressaltar que os professores de violão da escola têm se envolvido diretamente no projeto. Além de participarem da montagem da Camerata, estimulando seus alunos a integrarem o conjunto, possuem uma atuação articulada entre a execução e a composição.

Camerata de Violoncelos da Escola Municipal de Música de São Paulo

Ricardo Fukuda – direção musical

A Camerata de Violoncelos da Escola Municipal de Música de São Paulo foi criada em 2015 para fomentar e desenvolver a prática de conjunto como mais uma das ferramentas de complementação para a formação estética e musical dos alunos da Escola Municipal de Música. A partir da criação coletiva, visa desenvolver o senso camerístico e social dos alunos de violoncelo, com a orientação dos professores da Escola.

Consorte de Flauta Doce da Escola Municipal de Música de São Paulo

Helcio Müller – direção musical

O Consorte de Flautas Doces da Escola Municipal de Música de São Paulo foi criado com o objetivo de proporcionar aos alunos uma vivência da prática de conjunto desse instrumento entre si e com outras formações instrumentais, utilizando um repertório amplo e eclético que abrange desde o Renascimento até peças brasileiras e populares. O flautista também tem contato com os outros instrumentos da família das flautas doces, como, por exemplo, as flautas sopranino, tenor, baixo e contrabaixo e até alguns instrumentos renascentistas, como um quarteto de krumhorns.

Grupo de Saxofone da Escola Municipal de Música de São Paulo

Mauricio de Souza – direção musical

Surgido em 2015, é formado por duetos, trios, quartetos e quintetos que visam trabalhar conceitos rítmicos, melódicos e harmônicos através de práticas em grupo, proporcionando ao aluno a experiência de tocar e se posicionar musicalmente em distintos conjuntos. As práticas  são realizadas a partir de peças do repertório da música clássica adaptadas para grupos de saxofone, e também peças compostas para essas formações nos mais variados estilos musicais.

 

Opera Studio

Inscrições encerradas 2016

Estão encerradas as inscrições para o processo seletivo de vagas remanescentes do Opera Studio do Theatro Municipal de São Paulo. O projeto será realizado de forma gratuita nas dependências da Escola de Música de São Paulo entre os meses de março e dezembro de 2016. Veja a lista dos selecionados:

Candidatos aprovados Opera Studio 2016

Opera-Studio-edital-de-selecao-2016

Inscrições encerradas 2015

Está disponível o resultado do processo seletivo para a primeira turma do Opera Studio do Theatro Municipal de São Paulo. A lista de candidatos aprovados e suplentes consta abaixo, entre os arquivos disponíveis para download.

Os candidatos aprovados deverão confirmar interesse pela vaga até o dia 31/7. Para isto, deverão enviar mensagem para o endereço operastudio.tmsp@gmail.com. O candidato aprovado que não confirmar participação no Opera Studio até essa data perderá a sua vaga.

Arquivos para download

Edital de seleção Opera Studio 2015 (pdf)

Resultado final Opera Studio 2015 (pdf)

Início das atividades: 10 de agosto, às 9 horas.

Matrícula: dia 10 de agosto. Os candidatos deverão trazer cópia simples do RG, CPF e comprovante de residência, e 1 foto 3×4. Para a efetivação da matrícula, também deverão concordar com o regulamento e assinar termo de cessão de direitos de imagem.

Importante:

A atuação e o rendimento dos alunos participantes do projeto serão avaliados a cada semestre. Caso o desempenho seja considerado insatisfatório, a coordenação do Opera Studio se reserva o direito de desligá-lo do projeto, podendo ou não chamar para o preenchimento da vaga algum candidato eventualmente relacionado na lista de suplentes ou mesmo realizar um novo processo seletivo.

O aluno será automaticamente desligado do projeto se tiver mais de 2 (duas) faltas sem justificativa (devidamente aceita pela coordenação do Opera Studio) em cada disciplina, dentro de um mesmo semestre letivo. Uma vez estabelecido o cronograma de ensaios para os espetáculos artístico-pedagógicos, não serão admitidas faltas sem justificativa.

O Opera Studio

Coordenador: Gabriel Rhein-Schirato

O Opera Studio do Theatro Municipal de São Paulo tem como objetivo principal o desenvolvimento e a preparação artística de jovens cantores líricos, assim como o aperfeiçoamento de suas habilidades musicais e cênicas, sempre estimulando a criatividade e o refinamento técnico.

O projeto conta em sua grade curricular com aulas de interpretação musical voltada à ópera, interpretação cênica, expressão corporal voltada à ópera, consciência corporal para cantores líricos, história da ópera idioma fonética e prosódia musical, além de ensaios semanais com pianista correpetidor.

Ademais, são oferecidas masterclasses e palestras com os solistas, maestros e diretores da temporada lírica do Theatro Municipal de São Paulo, bem como o acompanhamento do processo de ensaios dos espetáculos, além da montagem de espetáculos artístico-pedagógicos.

Mais informações constam no edital do processo seletivo, disponível na lista de arquivos para downloads.

Inscrições encerradas no dia 3/7/2015. Confira abaixo a lista de candidatos aprovados, com as datas e horários das audições.

Opera Studio – candidatos aprovados, datas e horários das audições (pdf)

Gabriel Rhein-Schirato – coordenador

Maestro-assistente da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais até 2014, Gabriel Rhein-Schirato fez seu bacharelado no Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes da USP, sob orientação de Gilberto Tinetti, Aylton Escobar e Marco Antônio da Silva Ramos. Especializou-se e concluiu sua pós-graduação em Stuttgart e Bremen, sob orientação de Patrick O’Byrne. Em 2007, foi aceito na Accademia Superiore Città della Musica e del Teatro de Pescara, Itália. Estudou técnica e repertório vocal com Benito e Isabel Maresca.
À frente da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, apresentou diversas obras do repertório sinfônico, operístico e, eventualmente, popular. Em 2012 e 2013, regeu a ópera Madama Butterfly e Un Ballo in Maschera em Belo Horizonte.
De 2009 a 2011, foi maestro-preparador no Coral do Amazonas, no Festival Amazonas de Ópera. Regeu, em 2013, a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo em uma das récitas comemorativas dos 45 anos de fundação do Balé da Cidade no Theatro Municipal de São Paulo.

Professores

Laura Cirne de Souza

Márcio Gomes

Helen Gallo

Keila Bueno

Leonardo Martinelli

Piano

Daniel Gonçalves

 

Ateliê Contemporâneo

Inscrições encerradas para 2016

Confira abaixo a lista de aprovados para o preenchimento das 20 vagas do Ateliê Contemporâneo da Escola Municipal de Música de São Paulo, além de uma lista de suplentes. Os aprovados deverão comparecer para o início das atividades no dia 07 de abril de 2016, às 17h, na Escola Municipal de Música de São Paulo, Praça das Artes (Av. São João, 281, 2º andar, Centro, São Paulo).

Candidatos aprovados_Ateliê Contemporâneo_2016

Os  candidatos aprovados deverão trazer os seguintes documentos:

– Cópia simples do RG/RNE e CPF;

– Comprovante de Endereço;

O edital com detalhes do processo seletivo e atividades propostas, encontram-se disponíveis abaixo para download.

Ateliê Contemporâneo – edital de selecao 2016

Sobre o Ateliê Contemporâneo

Coordenador: Tiago Gati

O Ateliê Contemporâneo tem como objetivo desenvolver atividades pedagógicas e preparar artisticamente participantes selecionados nas áreas de instrumento, canto e composição para atuarem na performance do repertório musical dos séculos XX e XXI, estimulando uma postura criativa e um treinamento técnico especializado.

Além da conscientização para um pensamento e um fazer musical atuais que, sem dúvida, refletirão positivamente nas próprias releituras dos repertórios passados, o contato com a música contemporânea proporcionará uma vivência extraordinariamente rica com relação às possibilidades e os limites dos próprios instrumentos.

O participante contará com atividades semanais regulares com professores da Escola Municipal de Música de São Paulo amplamente versados no repertório contemporâneo, abordando considerações históricas e estéticas, questões técnicas, interpretativas, além de ensaios de grupos camerísticos previstos para serem constituídos pela coordenação artística do projeto em face do perfil dos ingressantes. Serão oferecidas ainda masterclasses e palestras com alguns dos solistas, maestros e compositores envolvidos na temporada da Série Música Contemporânea na Sala do Conservatório.

Coordenador: Tiago Gati

Compositor e pesquisador, Tiago Gati participou de projetos artísticos, congressos e festivais como Darmstadt, L’Espace du son, Espacios Sonoros, Bienal de Música Eletroacústica de São Paulo, Monaco Electroacoustique, RaumMusik Köln, entre outros.

Possui graduação e mestrado em composição musical pela Unesp, sob a orientação de Flo Menezes. Foi membro do Studio PANaroma de Música Eletroacústica entre 2010 e 2015, atuando como compositor, na performance de obras em diversos concertos e na Bienal de Música Eletroacústica de São Paulo (Bimesp), além de desenvolver pesquisas relacionadas à composição instrumental aliada a meios eletrônicos.

Participou recentemente do projeto Boulez+, realizando duas obras para violino e eletrônica em tempo real: Nomoi, estreada com Elissa Cassini ao violino; e Nomoi 2, gravada por Claudio Cruz. Em 2015 participou e teve obras executadas em uma série de concertos na Alemanha, Mônaco e Portugal com a obra O interno distante e o projeto de composição coletiva Angularis.

 

Equipe

Escola Municipal de Música de São Paulo

Diretor
Antonio Tavares Ribeiro

Assistente de Direção
Valdemir Aparecido da Silva

Auxiliar Artística
Maíra Ferreira

Assistente Técnica
Jéssica Elias Secco

Equipe
Maria Aparecida Malcher
Grazieli Araujo Guerra

Montadores
José Roberto Silva
Ricardo Farão

Estagiários
Gabriela Carolina Assunção Souza
Jaine Gomes Azevedo
Renata Silva Rosa
Thaís Barbosa do Nascimento

Theatro Municipal

Praça Ramos de Azevedo, s/nº
Sé - São Paulo, SP
Ver no Mapa
Telefone 55 11 3053 2100
Bilheteria 55 11 3053 2090

Praça das Artes

Avenida São João, 281
Sé - São Paulo, SP
Ver no Mapa
Telefone 55 11 4571 0401

Adquira seus ingressos

Compre Ingressos
Lei de Incentivo
Ministério da Cultura
Patrocinador Mantenedor - série Terças e série Domingos II
Santander
Patrocinador - série Sábados I e série Sábados II
Bradesco
Copatrocinador
UOL
Execução
Instituto Brasileiro de Gestão Cultural - IBGC
Realização
Fundação Theatro Municipal de São Paulo Circuito São Paulo de Cultura Prefeitura de São Paulo Ministério da Cultura
Venda de ingressos
Compre ingressos
Agência de negócios e relações institucionais
Levisky Negócios & Cultura
Apoio
Ultra Haitong