Coral Paulistano Mário de Andrade completa 80 anos em 2016 com séries comemorativas

No ano que completa 80 anos, o Coral Paulistano Mário de Andrade terá mais de 30 concertos agendados no palco do Theatro, no Salão Nobre e na Sala do Conservatório. Serão três séries de concertos: Paulistano nas Escadarias; Festival de Oratórios e Paulistano no Conservatório.

Um dos grupos mais tradicionais da música Brasileira, o Coral Paulistano foi criado por Mário de Andrade em 1936, então diretor do Departamento Municipal de Cultura, para mostrar à elite paulistana a importância da valorização do nacionalismo. Desde 2013, o grupo artístico da Fundação Theatro Municipal carrega o nome de seu criador.

“Mário dizia que era preciso desenvolver o ‘cantar brasileiro’. Modo brasileiro de cantar? Cantar a música brasileira? Na dúvida, melhor fazermos as duas coisas. Isso é o que o Coral Paulistano tem feito”, conta Martinho Lutero Galati, regente e diretor artístico do Coral Paulistano.

O primeiro concerto do ano acontece no dia 20 de março, às 11h, no palco do Theatro, com ingressos a preços populares – R$ 5, para todos os setores. No programa, está a peça “A Criação”, de Franz Haydn, com o diretor artístico do grupo Martinho Lutero na regência e participação do grupo Camerata Paulistana. Na quarta-feira anterior (16/3), às 12h, o Coral faz uma prévia do concerto nas escadarias internas do Theatro Municipal, com entrada franca.

Início das comemorações

O concerto escolhido para abrir o ano foi “A Criação”, escrito pelo compositor austríaco Franz Joseph Haydn em 1797. O evento acontece no dia 20/4 (domingo), às 11h, com ingressos a R$ 5, no palco do Theatro Municipal.

“Esta obra retrata o início de tudo, a construção do mundo e de tudo o que nele habita. Podemos fazer um paralelo com o que esperamos de 2016: um novo recomeço para a música coral”, explica Martinho.

A obra inaugura o festival “Oratórios”, que em dez concertos ao longo do ano celebrarão este gênero de composição musical cantada, com conteúdo narrativo. O nome vem de “Congregação do Oratório”, sociedade religiosa que realizava apresentações de música sacra, em Roma, entre 1571 e 1594.

Em “A Criação”, Haydn usou como base o livro bíblico do Gênesis e o poema “O Paraíso Perdido”, de John Milton. A obra é dividida em três partes e narra os seis dias da criação da Terra.

Antes do concerto acontecerá o lançamento oficial do São Paulo Cidade Coral – um projeto da Secretaria Municipal de Cultura, coordenado pelo Coral Paulistano, e que levará pelo menos um grupo coral – escolhido por edital no início deste ano – a um ponto da cidade. A entrada é sempre gratuita.

Alguns dos trinta grupos corais que fazem parte do projeto se apresentarão, antes do concerto do Coral Paulistano, às 10h30, nas escadarias internas do Theatro.

Além disso, uma pequena mostra de objetos e programas antigos do grupo artístico da Fundação Theatro Municipal estarão expostos no Salão Nobre.

Séries no Theatro Municipal e na Praça das Artes

Somente no Municipal e na Praça das Artes estão agendados mais de 30 concertos ao longo do ano. Além disso, o Coral Paulistano se apresentará em diferentes lugares da cidade – CEU’s, igrejas, templos, entre outros palcos estão na programação itinerante do grupo.

Além do Festival “Oratórios”, acontecem mais duas séries: Mosaico Internacional e Coral Paulistano nas Escadarias.

Formado por dez concertos que acontecerão no palco do Theatro e no Salão Nobre, o Festival “Oratórios” traz ao público diferentes obras compostas neste estilo musical. Entre as obras apresentadas estão “Jephte” e “Jonas”, de Giacomo Carissimi; “Pestis Mediolanensis” e “Le Reniement de Saint Pierre”, de Marc-Antoine Charpentier; “Magnificat“, de Johann Sebastian Bach; e “Gloria“, de Antonio Vivaldi.

Os concertos gratuitos nas escadarias internas, sucesso de público em 2015, serão mantidos. Uma quarta-feira por mês, sempre ao meio-dia, o Coral Paulistano ocupará as escadarias internas do Theatro. A entrada é franca e no repertório estão cantos sacros, canções latino-americanas e brasileiras, música italiana etc.

Aos sábados, também uma vez por mês, o Coral Paulistano se apresentará na Sala do Conservatório (na Praça das Artes). Na série “Mosaico Internacional”, o grupo interpretará canções típicas de diversos países – Portugal, Japão, Cuba, Espanha e Alemanha estão entre as nações escolhidas.

Outra novidade do Coral Paulistano são os concertos dominicais. Serão ao todo cinco concertos, com ingressos a preços populares – preço único de R$ 5.

Em 2015 foram mais de 100 concertos. O Coral Paulistano atua também fora do Theatro, fomentando o crescimento da música nas comunidades distantes do centro, tornando mais acessível ao grande público o repertório nacional e internacional da música de concerto e incentivando a criação de novos grupos corais.

São Paulo Cidade Coral

Desde ano passado, o Coral Paulistano está coordenando uma verdadeira empreitada de canto coral. O projeto é da Secretaria Municipal de Cultura e levará pelo menos um grupo coral – escolhido por edital sob curadoria do Coral Paulistano – a um ponto da cidade. A entrada é sempre gratuita.

A Jornada Coral continuará em 2016, sempre levando pelo menos um concerto coral a pontos históricos de São Paulo – além do próprio Theatro Municipal, Cripta da Sé, Igrejas, CEU’s e outros lugares, estão na agenda do evento.

No repertório dos concertos, música coral para todos os gostos: música popular brasileira, música clássica, barroca, renascentista, música latino-americana, música francesa, música sacra, cantos tradicionais natalinos, negro spirituals etc.

Os grupos selecionados neste ano foram: Capela Musical Arquidiocesana da Sé Catedral de São Paulo; Companhia Deodara; Coral A Tempo; Coral Arcanjo Micael; Coral da ADEVA (Associação de Deficientes Visuais e Amigos); Coral da Cidade de São Paulo; Coral da Oficina de Arte e Cultura; Coral Em Tom; Coral Indígena Guarani Ara Ovy; Coral Mosaico; Coral Patois; Coral Vozes Paulistanas; Coro Cântaro; Coro da Diocese de Santo Amaro; Coro Luther King; Coro Masculino de Alumínio; Coro Osvaldo Lacerda; Dolce Anima; Grupo Vocal Trato no Tom; Madrigal Sempre en Canto; Madrigal Acalantarte; Madrigal Belo Canto; Madrigal VivArte; Madrigueiros; Novo Coral de Suzano; Somos Todos Som; Voz Moscada.

Coral Paulistano Mário de Andrade

Com a proposta de levar a música brasileira ao Theatro Municipal de São Paulo, em 1936, por iniciativa de Mário de Andrade, foi criado o Coral Paulistano. O então diretor do Departamento Municipal de Cultura queria mostrar à elite paulistana a importância do movimento nacionalista que contagiava os compositores brasileiros da época e que era até então desconhecida.

Marco da história da música em São Paulo, o grupo foi um dos muitos desdobramentos do movimento modernista da Semana de Arte Moderna de 1922. Ao longo de décadas, o grupo esteve sob a orientação de alguns dos mais destacados músicos do nosso país, como Camargo Guarnieri, Fructuoso Vianna, Miguel Arqueróns, Tullio Colacioppo, Abel Rocha, Zwinglio Faustini, Antão Fernandes, Samuel Kerr, Henrique Gregori, Roberto Casemiro, Mara Campos, Tiago Pinheiro e Bruno Greco Facio.

Após sua missão original se perder em anos de decadência, em 2013 o grupo foi novamente fortalecido e revalorizado, passando a se chamar Coral Paulistano Mário de Andrade. Com uma programação extensa de apresentações de música brasileira erudita em diferentes espaços da cidade, renovou seu fôlego e retomou suas atividades resgatando sua autenticidade.

Atualmente o Coral Paulistano Mário de Andrade tem como regente titular Martinho Lutero Galati e conta com 48 integrantes. É um dos grupos que integram a Fundação Theatro Municipal de São Paulo, da Secretaria Municipal de Cultura.

SERVIÇO

Coral Paulistano Mário de Andrade

Abertura da Temporada 2016

Lançamento do Projeto SP – Cidade Coral

Festival de Oratórios

Coral Paulistano Mário de Andrade

Camerata Paulistana

Martinho Lutero Galati de Oliveira – regente e diretor artístico

URIEL Jean William – Tenor

GABRIEL Rosemeire Moreira – Soprano

RAPHAEL Davide Rocca – Barítono

ADÃO Vicente Sampaio – Barítono

EVA Indhyra Gonfio – Soprano

Programa

JOSEPH HAYDN

A Criação

 

20/03 domingo 11h

Theatro Municipal de São Paulo

Praça Ramos de Azevedo, s/nº

Ingressos: de R$ 5

Capacidade: 1.500 lugares

Sugestão de faixa etária: livre

Duração: 210 minutos (aproximadamente)

Bilheteria do Theatro Municipal ou pelo site da Compre Ingressos

De segunda a sábado das 10h às 19h.
Domingo das 10h às 17h.
Nos espetáculos à noite, até o início do evento;
Em dias de espetáculos pela manhã, a partir das 9h.

Programação completa aqui.

Theatro Municipal

Praça Ramos de Azevedo, s/nº
Sé - São Paulo, SP
CEP 01037-010
Ver no Mapa
Bilheteria 55 11 3053 2090
Horário de atendimento Segunda a sexta, 10h às 19h
Sábado e domingo, 10h às 17h

Praça das Artes

Avenida São João, 281
Sé - São Paulo, SP
CEP 01035-000
Ver no Mapa
Telefone 55 11 4571 0401
Horário de atendimento 7h às 19h
Patrocínio Séries Óperas Domingo
Bradesco
Patrocínio Séries Óperas Sábado
Santander
Apoio
Arteris
Apoio Cultural
Clube do Assinante Flip Intranet Espaço do Servidor Senac
Gestão
Instituto Odeon
Realização
Prefeitura de São Paulo Fundação Theatro Municipal de São Paulo Ministério da Cultura

Para mais informações sobre patrocínio e parceria contate (11) 3053-2083.

Instituto Odeon

Matriz MG

Rua dos Inconfidentes, 867 - 2º andar
Savassi - Belo Horizonte, MG
CEP 30140-128
CNPJ 02.612.590/0001-39

Filial SP

Praça Ramos de Azevedo, s/nº
Sé - São Paulo, SP
CEP 01037-010
CNPJ 02.612.590/0004-81