LOHENGRIN, DE WAGNER, CHEGA AO THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO EM VERSÃO DE HENNING BROCKHAUS

Ópera em três atos do compositor alemão Richard Wagner (1813-1883), Lohengrin é o sexto título da temporada lírica 2015 do Theatro Municipal de São Paulo. A montagem estreia no dia 8 de outubro e é a primeira versão do diretor Henning Brockhaus para a dramaturgia de Wagner. Lohengrin terá ao todo oito récitas, nos dias 8, 10, 11, 13, 15, 17, 18 e 20 de outubro. A regência e direção musical ficam a cargo do maestro John Neschling, diretor artístico da Fundação Theatro Municipal de São Paulo.

“Lohengrin é uma opera muito difícil. Eu já vi várias versões, sem entender profundamente quem é este personagem e até mesmo o cisne, porque a história é frequentemente contada de uma maneira realística. Na minha opinião, todas as óperas de Wagner não são histórias realistas mas parábolas e se faz necessária uma outra linguagem, mais simbólica, dos sonhos”, afirma Brockhaus.

Quem assina a cenografia é o renomado artista grego Jannis Kounellis. Para os cenários, o artista escolheu fazer grandes instalações, que servem até mesmo para representar a figura do famoso cisne – em seu lugar entrará em cena um cubo de metal, com referências à ave; uma grande parede de instrumentos, e outra com peças de roupas em tons escuros fazem parte do cenário. “Eu escolhi para a cenografia este grande artista porque sua linguagem é a linguagem simbólica. Para isso, ele inventa espaços que dão certo para eu contar a história”, conta Brockhaus.

Interpretando o personagem título, está Tomislav Muzek. Marion Ammann viverá Elsa von Brabant e Tómas Tómasson será Friedrich von Telramund. Marianne Cornetti, Luiz–Ottavio Faria, Carlos Eduardo Marcos, Miguel Geraldi, Walter Fawcett, Sebastião Teixeira, Leonardo Pace, Elaine Caserh, Elaine Moraes, Keila de Morais e completam o primeiro elenco.

LOHENGRIN

A ópera romântica em três atos do compositor alemão Richard Wagner, responsável também pelo libreto. A trama é ambientada durante a primeira metade do século X no Ducado de Brabante (na atual região de Antuérpia, Bélgica) e foi apresentada pela primeira vez na Alemanha, em 1850, com direção de Franz Liszt. A história teve inspiração em uma novela germânica medieval.

O primeiro ato começa com a chegada do rei Henrique I, da Germânia, ao Ducado de Brabante. Ali ele encontra o conde Friederich de Telramund, regente dos herdeiros daquele reino – o duque Gottfried, menor de idade e herdeiro do trono, e da irmã dele, Elsa. Após Gottfried desaparecer misteriosamente, Telramund, envenenado por sua esposa (Ortrud), acusa Elsa de assassinar o irmão e usa este fato de motivo para assumir o trono. Entra em cena um cavaleiro misterioso para ajudar Elsa na missão de provar sua inocência. Em troca, ele  pede que nunca pergunte seu nome e/ou sua origem.

No segundo ato, o casal Telramund e Ortrud vaga depois de terem sido moralmente expulsos da comunidade. Enquanto isso, Elsa e o cavaleiro misterioso se casam. No ato final, acontecem as cenas mais dramáticas – Elsa, envenenada por Ortrud, rompe o pacto e faz as perguntas proibidas ao marido. Ele, então, revela sai verdadeira identidade: Lohengrin, filho do rei Parsifal.

Os ingressos custam entre R$ 50 e 120, com meia-entrada para todos os setores, e podem ser adquiridos na bilheteria do Theatro Municipal ou pelo site da empresa Compre Ingressos, neste link.

A Fundação Theatro Municipal de São Paulo é uma fundação de direito público ligada à Secretaria Municipal de Cultura e mantém contrato de gestão com o Instituto Brasileiro de Gestão Cultural.

As récitas de Lohengrin nos dias 8, 11 e 20 de outubro contam com o patrocínio do BNDES

 

PALESTRA
No sábado (3/10), às 17h, o compositor, doutor em música pela USP, coordenador da Pós-Graduação em Canção Popular da FASM e idealizador das Palestras de Degustação Musical Sergio Molina realiza uma palestra gratuita sobre a ópera Lohengrin, no Salão Nobre do Theatro Municipal.

SERVIÇO

LOHENGRIN
Richard Wagner
08/10 qui 20h | 10/10 sáb 20h | 11/10 dom 18h | 13/10 ter 20h | 15/10 qui 20h | 17/10 sáb 20h | 18/10 dom 18h | 20/10 ter 20h

Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo
Coro Lírico Municipal de São Paulo

John Neschling – Direção musical e regência (dias 8, 11, 15, 17 e 20/10)
Eduardo Strausser – Regente assistente (dias 10, 13 e 18/10)
Henning Brockhaus – Direção cênica
Valentina Escobar – Assistência de Direção cênica e Coreografia
Yannis Kounellis – Cenógrafo
Patricia Toffolutti – Figurinista
Guido Levi – Desenho de luz

Lohengrin
Tomislav Muzek (dias 8, 11, 15, 17 e 20/10)
Viktor Antipenko (dias 10, 13 e 18/10)

Elsa von Brabant
Marion Ammann (dias 8, 11, 15, 17 e 20/10)
Nathalie Bergeron (dias 10, 13 e 18/10)

Friedrich von Telramund
Tómas Tómasson (dias 8, 11, 15 e 17/10)
Johmi Steinberg (dias 10, 13, 18 e 20/10)

Ortrud
Marianne Cornetti (dias 8, 11, 15, 17 e 20/10)
Johanna Rusanen-Kartano (dias 10, 13 e 18/10)

Heinrich der Vogler
Luiz–Ottavio Faria

Heerrufer
Carlos Eduardo Marcos

Die vier Edlen
Miguel Geraldi
Walter Fawcett
Sebastião Teixeira
Leonardo Pace

Vier Edelknaben
Elaine Caserh
Elaine Moraes
Keila de Morais
Lídia Schäffer
*Programação sujeita a alterações.

Theatro Municipal de São Paulo
Praça Ramos de Azevedo, s/nº
Bilheteria: 3053-2090
Ingressos: R$ 50 a R$ 120 – com meia-entrada para estudantes
Site: http://www.compreingressos.com/theatromunicipaldesaopaulo
Capacidade: 1.500 lugares
Sugestão de faixa etária: acima de 10 anos
Duração 160 minutos (com dois intervalo)

Bilheteria do Theatro Municipal
De segunda a sábado das 10h às 19h
Domingo das 10h às 17h
Nos espetáculos à noite, até 15′ antes do início do evento
Em dias de espetáculos pela manhã, a partir das 9h

Palestra com Sergio Molina
Sábado 03/10, às 17h (duração aproximada de 1h)
Theatro Municipal
Capacidade: 100 pessoas
Entrada Franca

Theatro Municipal

Praça Ramos de Azevedo, s/nº
Sé - São Paulo, SP
Ver no Mapa
Bilheteria 55 11 3053 2090

Praça das Artes

Avenida São João, 281
Sé - São Paulo, SP
Ver no Mapa
Telefone 55 11 4571 0401
Patrocínio
Bradesco
Apoio
Haitong Qualicorp
Apoio
Intranet Espaço do Servidor
Gestão
Instituto Odeon
Realização
Fundação Theatro Municipal de São Paulo Prefeitura de São Paulo Ministério da Cultura